O Real Madrid tem no próximo sábado, dia 26 de maio, o jogo mais importante da temporada. Frente ao Liverpool, a equipa espanhola vai tentar vencer a terceira Liga dos Campeões consecutiva. O feito seria inédito, no atual modelo da prova, e seria o momento alto de uma temporada muito irregular. O Real esteve longe do nível habitual, tendo caído cedo na Taça da Espanha e terminado o campeonato na terceira posição, a 17 pontos de distância do campeão Barcelona.

Para acentuar o baixo nível nas competições internas, o Real ainda terminou a temporada, em Espanha, com um empate a dois golos, frente ao Villareal. A equipa, que deverá ser muito próxima da que vai jogar no sábado, até esteve a ganhar 2-0, mas acabou por ceder o empate, em momentos de desconcentração que se tornaram habituais durante esta época.

Cristiano teme comportamento dos colegas na final

Quem não gosta nada destes erros é Cristiano Ronaldo, que voltou a deixar a sua marca. O internacional português marcou o segundo golo do Real, num cabeceamento perfeito, e somou o golo 30 em 2018. Neste ano civil, ele é o melhor marcador na Europa, e chega em forma à grande final da Liga dos Campeões, a sua prova favorita, como ele já revelou. O capitão da seleção portuguesa já pensa em marcar também em Kiev, para conquistar a sua quinta Liga dos Campeões na carreira.

No jogo contra o Villareal, alguns jogadores estavam a ser avaliados, uma última vez, por Zidane. A verdade é que o treinador francês foi quem mais sofreu com a irregularidade dos seus atletas durante a temporada.

Cristiano Ronaldo muito só no ataque

Esse é o caso de Gareth Bale, um jogador sobre o qual Zidane nem sabe o que pensar.

Os melhores vídeos do dia

Contra o Villareal, ele até marcou o primeiro golo da noite, mas depois disso não há muito mais a acrescentar de uma exibição considerada sem garra e pouco influente.

De acordo com o Diario Gol, o Real Madrid dominou o encontro mas só no meio-campo, mostrando muitas dificuldades no ataque, onde Cristiano Ronaldo ficou muito sozinho. Jogadores como Isco e Bale não são o apoio que o avançado português precisa, e Ronaldo recebe pouco jogo. Aliás, o golo que Ronaldo marcou aconteceu depois de um centro do lateral Marcelo, que se incorporou na jogada ofensiva.

Descomprometimento de vários jogadores

Depois, no segundo tempo, a exibição foi ainda pior. Não só o jogo continuou muito longe de Ronaldo, como a equipa acabou por se desligar, o que já vem sendo hábito durante a temporada, mas algo que não pode acontecer na final de sábado.

O comportamento dos jogadores mudou drasticamente, e todos pareciam estar com a cabeça bem longe, talvez já a chegar a Kiev. Essa situação acabou por permitir o empate do Villareal, já com Cristiano Ronaldo no banco, a descansar para a final.

Cristiano quer os melhores em campo

O jogo já não contava para nada, mas no final da partida houve alguma confusão e Cristiano Ronaldo "exigiu" mais comprometimento aos seus colegas. O jogador já terá comunicado a Zidane que só podem ir a jogo os atletas que estão com a cabeça no Real Madrid.

E apontou o dedo a dois dos seus colegas: Isco e Gareth Bale. Os dois craques já poderiam estar a pensar mais numa saída do Real, no próximo verão, e isso pode comprometer todo o trabalho da equipa. Por isso, para Ronaldo, não existem dúvidas: eles devem ficar de fora da final. E Cristiano até aponta soluções, adiantando que prefere jogar com Benzema, Marco Asensio ou Lucas Vásquez, do que com Isco e Bale.