Ernesto Valverde já prepara a próxima temporada. O treinador espanhol do Barcelona vai fazer algumas mudanças, até porque alguns jogadores estão de saída. Para começar, Andres Iniesta, que vai deixar vago o lugar que ocupou durante anos, mas há mais. No ataque, Valverde quer voltar a ter dois homens nas alas. Mas, há surpresa no novo modelo que Valverde pensa implementar. Certo é que o treinador já deu a sua aprovação para a contratação do francês do Atlético de Madrid.

Griezmann será o primeiro reforço

Exceto alguma surpresa de última hora, Antoine Griezmann vai jogar no Barça na próxima temporada. O Barcelona está a negociar com o representante do francês desde outubro passado e está disposto a pagar os 100 milhões de euros da cláusula de rescisão que ele tem com o Atlético de Madrid.

No entanto, a dúvida que fica é como é que vão jogar tantos jogadores de características ofensivas juntos.

Afinal, o novo Barça vai ter Messi, Suárez, Dembélé, Coutinho e Griezmann, mas parece que isso não preocupa Valverde, que está preparado para se servir das várias soluções que vai ter no próximo ano. Por isso, o treinador já sabe como vai resolver esta questão de possível excedente de atacantes. Ernesto Valverde já sabe como vai jogar na temporada 2018/19 e, de acordo com o site Don Balón, vai acabar com os modelos do último ano e não haverá nada de 4-3-3 ou 4-4-2. A aposta de Valverde será um 4-2-3-1, que na opinião do treinador é a única maneira de juntar tantas estrelas.

Novo ataque em Barcelona

Assim, Rakitic e Busquets vão ocupar uma dupla mais defensiva, no meio campo, se bem que o croata é de características mais atacantes, como se sabe.

Os melhores vídeos do dia

Depois, Messi seria um 10 com espaço para deambular atrás do ponta-de-lança, que seria Luis Suárez, e Griezmann e Coutinho descaem sobre as alas direita e esquerda, respetivamente. O brasileiro Coutinho descairia então sobre a ala esquerda e seria o novo Neymar. Aliás, Coutinho foi sempre o primeiro nome na lista do Barcelona para substituir o compatriota, quando este saiu para o PSG.

Griezmann começaria a partir da direita, embora a ideia é que o francês tenha liberdade para se deslocar para o centro, como Messi fez durante anos. Leo terá mais liberdade criativa, como já se tem visto em mais jogos.

Dembélé, o grande sacrificado

Claro que, com tudo isto, sobra um nome: Ousmane Dembélé. Com a chegada de Griezmann será impossível a entrada do jovem francês no onze. No entanto, parece que em Barcelona já ninguém pensa na possibilidade de ceder ou vender o jogador. Valverde vê o ex-Borussia de Dortmund como um 12.º jogador, que pode trazer velocidade e golos desde o banco.

E assim se começa a compor, cada vez mais, o novo Barcelona.