Esta Quarta-feira foi encontrada no fundo do Mar de Java a fuselagem do Airbus A320-200 da Air Asia que se havia despenhado a 28 de Dezembro com 162 pessoas a bordo. A descoberta deu-se alguns dias após terem sido recuperadas as caixas negras, que se receavam perdidas devido a terem-se separado da cauda, que foi recuperada no fim-se-semana passado. Tais receios revelaram-se desnecessários, uma vez que a baixa profundidade deste trecho do mar, de cerca de 30 metros, facilitou as buscas, que no entanto foram demoradas devidos a diversos fatores usuais neste tipo de situação. Antes do desaparecimento, o comandante do voo QZ8501 da Asia Airlines havia pedido autorização para mudar de rota, aparentemente com vista a desviar-se de uma frente de mau tempo.

Relatórios efetuados desde então têm consistentemente apontado as más condições climatéricas como a causa do incidente, sobretudo a possibilidade de formação de gelo nas asas, o que afetaria negativamente a capacidade da aeronave de se manter em voo. Convém relembrar que em 2009, o voo 447 da Air France se perdera no Atlântico Sul devido à formação de gelo to tubo de pitot, um sensor que mede a velocidade da aeronave e cujo mau funcionamento levara à perda de 228 vidas. Em ambos os casos as aeronaves em questão são modelos da construtora aeronáutica europeia Airbus, conhecidos por serem bastante seguros.

Em todo o caso, a investigação está apenas a começar e os resultados finais só serão conhecidos daqui a alguns meses. Felizmente, e apesar das circunstâncias, a recolha dos elementos mais importantes para este tipo de investigações permite ter alguma certeza de que as causas últimas serão eventualmente conhecidas.

Os melhores vídeos do dia

Para já, no entanto, a preocupação imediata prende-se com os corpos dentro da fuselagem. A discussão ainda decorre se serão recolhidos de onde estão, ou se se irá fazer emergir a estrutura com mecanismos de flutuação, como se fez anteriormente com a cauda.

2014 foi um ano muito negativo para as companhias aéreas asiáticas, com três incidentes de grande relevância, incluindo o despenhamento de duas aeronaves da Malaysia Airlines, uma ainda desaparecida no Índico, e outra abatida sobre o teatro de guerra ucraniano. Estes incidentes trouxeram também dúvidas em relação à segurança do crescente mercado de transportadoras aéreas desta região do mundo, com diversas acusações de falta de preparação a serem trazidas ao de cima.