Anúncio
Anúncio

Recentemente, em Conchillas (sudoeste do Uruguai), José Mujica, atual presidente do país, aceitou transportar um operário que pedia boleia enquanto caminhava pela berma de uma estrada. Este acontecimento deu-se no início deste ano, quando um funcionário de uma fábrica de automóveis, impedido de entrar no seu local de trabalho, visto o seu cartão de identificação ter caducado, fazia o caminho de regresso para sua casa a pé. Momentos depois de ter começado o seu percurso e ao verificar que o sol estava demasiado intenso para conseguir caminhar até à sua habitação, Gerhald Acosta decide tentar a sua sorte e pedir boleia.

Qual não foi a sua surpresa quando o Presidente do Uruguai, que passava pelo local, aceitou transportá-lo. Em entrevista ao jornal El Observador, Gerhald recorda que após a passagem de mais de 25 carros estava a perder a esperança.

Advertisement

Só quando uma carrinha oficial e um carro pararam junto do funcionário é que Acosta se apercebeu que se tratava de José Mujica. Depois de lhe ter relatado o sucedido, o Presidente ofereceu-se para lhe dar boleia, relatou Acosta. Ainda incrédulo, no fim da viagem, mostrou-se muito sensibilizado com o gesto do Presidente, agradecendo-lhe. Segundo o funcionário, "não é qualquer pessoa que pára o carro somente para ajudar alguém, quanto mais um presidente", relatou.

Apesar de nesse dia não ter conseguido ir trabalhar, Acosta aprendeu uma lição de vida: "tudo vale pela experiência", tendo publicado fotografias do acontecimento na sua página pessoal do facebook.

José Mujica, um Presidente com uma vida "normal"

É do conhecimento geral que José Mujica vive como um cidadão "normal".

Advertisement
Os melhores vídeos do dia

Este é, por muitos, conhecido como o "Presidente mais pobre do mundo". Mesmo após se ter tornado Presidente, tomou a decisão de continuar a morar na quinta da família, local que o viu crescer e doa mensalmente, em média, 90% do seu salário para a caridade, recebendo pouco mais do que 600 euros, mensalmente. Mujica já se pronunciou sobre o seu salário dizendo que é o suficiente para ter um padrão de vida aceitável.