Um homem matou a sua noiva, quatro dias depois de a pedir em casamento, no município Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro (Brasil). Até ao momento, ainda não é conhecida a causa deste Crime, ou seja, ainda é desconhecido o que terá motivado o noivo a cometer este homicídio. O caso está a causar um grande choque por parte da população habitante na referida cidade brasileira. Milton Severiano matou a sua companheira Cícera Alves de Sena, mais conhecida por Amanda Bueno, quatro dias depois de a ter pedido em casamento.

Cícera Alves de Sena, que já pertenceu ao grupo funk "A Gaiola das Popozudas", terá sido violentamente espancada pelo seu noivo no jardim da sua casa.

O momento, que ficou registado numa câmara de videovigilância, mostra o noivo a atirar a sua namorada ao chão. Depois, pegou na cabeça da sua noiva e bateu com ela uma dezena de vezes contra o chão. Após tal, vê-se o homem a sair do local, para, momentos depois, regressar com um colete de balas vestido e com duas armas de fogo nas mãos. Perante o corpo da dançarina estendido no chão, o noivo começou a disparar. Ao todo, foram cinco tiros.

De acordo com o jornal Globo, o homem, com cadastro de violência doméstica, saiu de seguida do local, pondo-se em fuga numa viatura que roubara à frente da casa onde se encontrava. No entanto, a polícia consegue identificar e deter o homem, de 32 anos, depois de este ter tido um acidente de viação, quando estava a ser perseguido pelas autoridades. Mais tarde, Milton Severiano confessou o crime, apesar de ter dito que estava arrependido de tê-lo feito, alegando que na altura tinha sofrido um "surto".

Os melhores vídeos do dia

O homem está, portanto, acusado de homicídio triplamente qualificado, pois o motivo é fútil e a vítima não tinha como se defender, não apresentando perigo ao ponto de a matar.

O enterro da dançarina aconteceu ontem (domingo, dia 19 de Abril), às 17 horas locais. Cerca de 40 pessoas juntaram-se para prestar um último adeus a Cícera Alves de Sena. Entre as pessoas, estava a sua filha, Emilly Cristina Sena, de 11 anos, que presenciou a cerimónia em lágrimas e, segundo o jornal Globo, disse apenas que queria a sua mãe de volta.