A editora Le Seuil anunciou esta segunda-feira, 13 de abril, que o escritor, tradutor e editor francês François Maspero faleceu no sábado. Maspero contava já com 83 anos. Durante a sua vida foi jornalista e proprietário de uma livraria. Foi ainda fundador da editora Maspero, atual La Découverte, a qual se tornou conhecida pela publicação de obras controversas. A ministra da Cultura francesa, Fleur Pellerin, num comunicado que enviou à imprensa, lamenta a morte de "uma grande figura da Literatura, um intelectual imenso".

Salienta ainda que "com ele a edição de livros políticos perde um dos seus símbolos".

François Maspero nasceu a 19 de janeiro de 1932, em Paris. É filho do sinólogo Henri Maspero e neto de Gaston Maspero, um egiptólogo conhecido. A Segunda Guerra Mundial trouxe grandes dissabores à sua vida, tendo perdido o pai num campo de concentração nazi e o irmão mais velho, que foi morto pelas tropas alemãs.

No famoso bairro Quartier Latin, em Paris, muito frequentado por intelectuais e artistas, Maspero, apesar de não possuir qualquer grau académico, abriu uma livraria em 1955. Quatro anos decorridos, criou a editora com o seu nome, Maspero, a qual publicou textos sobre a guerra da Argélia, outros de contestação ao regine soviético de Estaline e ainda textos com temas sobre o subdesenvolvimento e o neocolonialismo.

Nomes como Louis Althusser, Jean-Pierre Vernant, Pierre Vidal-Naquet, Yves Lacoste, Yannis Ritsos, Tahar Ben Jelloun e Nazim Hikmet viram as suas obras publicadas pela Maspero. Alguns dos títulos que publicou foram proibidos, fazendo com que este editor ganhasse reputação na vida intelectual de França.

Foi obrigado a vender a livraria em 1974, porém conseguiu manter a editora até 1982, ano em que teve o mesmo destino.

Atualmente a editora chama-se La Découverte e pertence a François Gèze. Dois marcos na sua vida catapultaram a veia de escritor de Maspero: um acidente de mota e uma tentativa de suicídio. Depois disso publicou 15 títulos. Entre eles é possível encontrar alguns romances e outros, a maioria, são guias de viagens.

Títulos de sucesso e trabalhos desenvolvidos:

Entre os seus livros, destacam-se três pela sua popularidade:

  • Le Sourire du Chat,
  • Balkans-Transit
  • Un Voyage au Long Cours

Como jornalista fez reportagens para o jornal Le Monde e para a Radio France.

Traduziu obras de grandes autores, entre eles John Reed, Francesco Biamonti, Alvaro Mutis, Arturo Pérez-Reverte, Carlos Ruiz Zafón e Joseph Conrad.

Hoje o mundo ficou mais pobre: dois grandes nomes ligados à literatura partiram: François Maspero e Günter Grass.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo