Surpresa nas eleições gerais do Reino Unido. O Partido Conservador de David Cameron ganhou com um resultado esmagador que lhe vale a maioria absoluta, com 331 deputados e vai governar por mais cinco anos. As sondagens deixavam antever que nem Conservadores, nem Trabalhistas, ganhariam os 326 deputados necessários para a maioria absoluta. Já as projecções, antecipavam 316 lugares para o partido do actual primeiro-ministro britânico.

Nestas eleições para a Câmara dos Comuns, e de acordo com a BBC, o Partido Conservador conquista 37 por cento dos votos, elegendo 331 deputados.

Publicidade
Publicidade

Surge depois o Partido Trabalhista (232 mandatos, menos 26 do que até agora). A terceira força política do Reino Unido passará a ser o Partido Nacionalista Escocês (SNP), com 56 deputados. Apesar do recente referendo à independência da Escócia, os responsáveis asseguram que o objectivo prioritário é fazer face à austeridade.

No sentido contrário ao SNP está o Partido Liberal-Democrata, que perdeu nada mais, nada menos, do que 46 lugares na Câmara dos Comuns.

Cameron continua no poder por mais cinco anos.
Cameron continua no poder por mais cinco anos.

Passa a quarta força política com apenas oito deputados eleitos. Por fim, há ainda duas outras instituições partidárias com lugar na Câmara baixa do parlamento britânico - o UKIP e os Verdes conquistaram uma vaga cada.

Demissões nos partidos perdedores

O resultado destas eleições gerais do Reino Unido já originou demissões nos partidos perdedores. Ed Milliband, líder dos Trabalhistas, e Nick Clegg (Liberal-Democrata) já confirmaram a demissão dos seus cargos, com o último a falar mesmo de "uma noite cruel e tortuosa" para o seu partido. Também Nigel Farage, dirigente da UKIP, confirmou a sua saída do cargo, embora não coloque de lado um eventual regresso no futuro próximo.

Cameron encontrou-se com a Rainha

No seguimento do triunfo eleitoral com maioria absoluta, David Cameron teve às 12h30 um encontro com a rainha Isabel II, que deverá ter feito o convite formal para o actual primeiro-ministro formar Governo. O governante acredita que poderá ter o novo Executivo constituído nos próximos dias.

Leia tudo e assista ao vídeo