Um grupo de activistas criou e projectou um vídeo da parada militar russa nas paredes da Casa Branca. A projecção mostra veículos militares russos, da era soviética e da actualidade, em exibição na Praça Vermelha de Moscovo, mas projectados na Casa Branca. Um vídeo que documentou a projecção foi publicado no YouTube e atingiu massivamente a audiência juvenil russa. Porque embora a projecção seja uma montagem com objectivos políticos, captou imediatamente a sensibilidade da população juvenil russa.

Publicidade

Num dia, o vídeo foi visto 500.000 vezes. A projecção também obteve a atenção dos transeuntes e condutores que passavam perto da residência oficial do democrata Obama.

O vídeo foi realizado na Escola Cinematográfica Nacional Russa. E é uma obra claramente política. Os estudantes que o realizaram colocaram uma mensagem dirigida a Barack Obama; no vídeo, os autores enfatizam o papel da Rússia na derrota do nazismo e lembram que o 9 de Maio foi a "data de nascimento do novo mundo". E lamentam que Obama se tenha recusado a comparecer em Moscovo, para conjuntamente celebrarem o 9 de Maio este ano.

Por isso, os activistas resolveram aplicar o ditado "se Obama não foi a Moscovo, Moscovo foi à casa Branca" e decidiram projectar uma mensagem videográfica nas paredes da residência presidencial norte-americana, em Washington.

A recusa de Obama de celebrar o 9 de Maio em Moscovo foi fundamentada com a crise na Ucrânia. A população juvenil russa não gostou que Obama se escudasse nos acontecimentos da Ucrânia para recusar o convite de celebrar conjuntamente a data histórica. A participação dos EUA na celebração do 70º aniversário da vitória na II Guerra Mundial, em Moscovo, foi considerada pela Casa Branca como "inapropriada", precisamente por causa da situação na Ucrânia.

Publicidade

A população juvenil russa considerou esta desculpa como um insulto à Rússia.

Também Angela Merkl recusou comparecer nas celebrações do 9 de Maio. E um russo teve a ideia de usar o Facebook para reunir, por todo o mundo, activistas que enviassem mensagens a Merkl, lembrando-lhe a importância do 9 de Maio.

Hoje, durante a parada militar na Praça Vermelha, em Moscovo, um veículo que transportava um míssil BUK incendiou-se diante de assustados espectadores.