Depois de um maior aprofundamento acerca da situação actual no Nepal um mês após a catástrofe, surgem novas informações sobre a distribuição da ajuda humanitária naquele país. Vários testemunhos dão conta de que existe uma selecção por parte do governo em relação a quem tem acesso à ajuda humanitária que este distribui através de vários ministérios. Foi-nos relatado que a ajuda chega a quem pertence ou simpatiza com o partido político em funções e que as próprias ONG's com ligações ao governo são encaminhadas para zonas onde predominam simpatizantes do partido politico.

Em entrevista exclusiva à Blasting News Portugal, Swoyambhu Tuladhar, Nepalês de 68 anos e tesoureiro da Organização Não Governamental "World Newah Organization", registada em Maryland, nos Estados Unidos, conta-nos o que presencia actualmente no seu país.

Para Tuladhar não existem dúvidas que após um mês da catástrofe a revolta e indignação popular cresce ao verificar-se que o governo falhou nos planos de ajuda humanitária. Refere que as pessoas estão mais atentas. Em Nuwakot, civis descobriram agentes do secretário das finanças, Ramesh Mahat, a vender placas de ferro que tinham sido doadas para construir casas para as vítimas dos terramotos. Ramesh Mahata afastou-se do cargo político após este incidente.

Existe também um problema logístico que não está a ser devidamente assumido pelo governo, não existe capacidade de distribuir toda a ajuda humanitária que chega ao Nepal diariamente através de governos estrangeiros, ONGs e empresas privadas. O aeroporto de Katmandu encontra-se neste momento cheio de alimentos e outros bens doados para ajudar os mais necessitados, mas não havendo capacidade de escoamento os produtos acabam por apodrecer ou desaparecer pela mão de oficiais corruptos, afirma Tuladhar.

Os melhores vídeos do dia

A situação actual é catastrófica. Tuladhar refere que "as condições estão especialmente más para os idosos e para as crianças. Nas montanhas de Sindupalchok crianças de raça Tamag foram vistas a comer lama com os dedos, tal era a sua fome". A "World Newah Organization" doou 1000 embalagens de comida para recém-nascidos. Cada embalagem alimenta uma criança durante uma semana.

Existem ONGs que estão a desempenhar um papel preponderante na ajuda humanitária, assim como pequenos grupos de locais que formaram equipas de ajuda nas suas próprias aldeias e iniciam por conta própria a reconstrução de casas. Existe também forte vontade de alguns grupos empresariais internacionais para ajudar com donativos, mas o governo insiste que todas as ajudas são feitas através deste e não directamente às associações ou outras entidades.

Historicamente o povo nepalês é caridoso e hospitaleiro. É tradição em zonas remotas deste país as famílias terem sempre um pote com arroz para oferecer a alguém que necessite alimento. É esse espírito do povo nepalês que deverá perdurar para que o Nepal volte a crescer e a desenvolver-se, mantendo as suas tradições milenares.