Sarah Nevard, de 36 anos, publicou na sua página de Facebook o vídeo com as agressões feitas à sua filha, Sophie, com o objectivo de expor as agressoras e identificá-las. Desta vez, duas jovens britânicas, uma delas com 18 anos, foram filmadas a espancar uma adolescente de 15 anos, em frente a um grupo de pessoas. Este último caso de bullying aconteceu num parque em Dartford, no condado de Kent, em Inglaterra. O incidente terá ocorrido no passado dia 11 de Julho.

O vídeo, que tinha andado a circular nas rede sociais Snapchat e Instagram, terá sido filmado por uma terceira rapariga do grupo de agressoras. A notícia está a correr toda a Inglaterra, e já foi partilhada centenas de vezes.

No vídeo, de apenas 10 segundos, pode ver-se a filha de Sarah a ser humilhada e agredida com socos e pontapés. Depois disso, a rapariga permaneceu indefesa e no chão, enquanto lhe queimavam as madeixas do cabelo. Durante a agressão ouve-se uma voz de fundo a gritar: "Por favor, parem! Parem!". 

A mãe afirmou estar "absolutamente furiosa" com o sucedido e está, neste momento, a tentar identificar as agressoras, para que se possa fazer justiça. Um amigo da vítima terá dito que Sophie está "demasiado assustada para sair de casa". Muitas pessoas têm comentado o vídeo na internet para mostrar uma total desaprovação quanto aos comportamentos violentos de bullying, e mostram-se solidárias com a jovem Sophie, desejando-lhe as melhoras e pedindo a detenção das duas jovens.

A polícia do condado de Kent teve conhecimento da existência do vídeo e das agressões, mas não tomou logo conta do caso por não ter sido apresentada qualquer queixa.

Os melhores vídeos do dia

No entanto, actualizações recentes revelam que as investigações já estão a decorrer e que, na tarde desta terça-feira, dia 21, foram detidas duas raparigas de 16 anos por suspeita de agressão, e ainda uma outra por ter sido cúmplice.

Já na semana passada surgiu um vídeo chocante em Birmingham que mostrava 2 raparigas de 14 anos a serem espancadas por uma adolescente mais velha por, supostamente, terem olhado para ela com um olhar de reprovação. Mais tarde, a atacante foi forçada a abandonar a sua casa depois de ser vandalizada por uma multidão enfurecida.