Apesar de ainda se encontrarem no hospital, acabam de ser divulgadas as imagens pelas quais famílias, amigos e o mundo inteiro ansiavam: um vídeo apresentado pela televisão tailandesa mostra alguns dos 12 meninos que estiveram presos durante mais de duas semanas numa gruta com o treinador da sua equipa de futebol no norte do País. O vídeo foi foi fornecido pelas autoridades tailandesas.

Nas imagens é possível ver pelo menos um grupo de sete meninos, todos colocados em isolamento numa sala do hospital da cidade de Chiang Raiem, onde estão a ser acompanhados e vigiados por profissionais da unidade de saúde. Os rapazes aparecem a usar máscaras, para evitar infecções e contágios, mas mostram-se bem, sentados, a olhar para a câmara e um até faz o sinal 'V' de vitória.

Um salvamento mediático

Vinte e quatro horas depois, estas são as primeiras imagens após o resgate que demorou três dias a ser completado, não só pelas autoridades da Tailândia, mas também por profissionais especializados de vários pontos do mundo, e que pôs fim a um cativeiro forçado de 17 dias e que colocou o mundo em suspense.

Até agora, existiam apenas fotografias anteriores dos meninos e imagens recolhidas no interior da gruta Tham Luang quando o grupo foi descoberto por uma dupla de mergulhadores britânicos a mais de quatro quilómetros da entrada que escolheram para se abrigar das fortes chuvas que se abateram após terem terminado um treino da sua equipa de futebol.

Meninos e treinador estão bem

Os 12 meninos, com idades compreendias entre os 11 e os 16 anos, e o treinador, de 25 anos, estão bem de saúde, apesar das mais de duas semanas que passaram presos na gruta, com muita humidade, sem luz solar e sem comida.

Os melhores vídeos do dia

Naturalmente, todos perderam peso e necessitam de tempo para voltar a ter uma dieta normal, mas o primeiro grupo de quatro a ser resgatado, no passado domingo, já come normalmente.

O treinador e um dos últimos quatro jovens a serem resgatados, durante esta terça feira, apresentam sinais de uma leve infecção pulmonar, que não deve ser grave, segundo informações do inspector de saúde local Thongchai Lertwilairatanapong. Para já, os meninos continuam em isolamento para prevenir o risco de infecções, o que os impede de estarem fisicamente com as suas famílias e amigos; alguns já podem ver familiares através do vidro. Nos próximos dias, espera-se que os 12 meninos e o treinador possam receber visitas, depois de realizarem exames médicos que mostrem que todos os sinais de infecção foram debelados.