Um porta-aviões norte-americano com mais de cinco mil tripulantes pediu ajuda ao governo dos Estados Unidos da América pela suspeita de 100 casos de infeção por covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus. Brett Crozier, capitão do navio que se encontra ao largo de Guam na Micronésia, região a oeste do Pacífico pertencente ao território insular dos EUA, escreveu uma carta em que pediu ajuda com a maior urgência possível, explicando que o navio tem um espaço limitado e o isolamento profiláctico é impossível de concretizar.

O pedido de ajuda do porta-aviões Theodore Roosevelt foi feito a 31 de Março.

Segundo o capitão, é provável que existam pelo menos 100 infectados pela covid-19 e o número irá aumentar se não houver ajuda com a máxima urgência possível.

"Se não agirmos imediatamente, estaremos a falhar na protecção aos nossos melhores activos: os nossos marinheiros", escreveu na carta Brett Crozier.

Ninguém precisa de morrer, diz o capitão

O capitão Brett Crozier declarou que as autoridades estão ao corrente da situação e que está a aguardar por ajuda há mais de 24 horas. Na sua carta afirmou que não existe nenhuma guerra e por isso ninguém precisa de morrer, mas que se não forem tomadas as devidas diligências imediatas, estarão a falhar para com alguns dos seus melhores profissionais, os seus marinheiros.

O actual responsável pela Marinha dos EUA, Thomas Modly, confirmou à CNN estar ao corrente da situação há pelo menos 24 horas. Estará a ser estudada uma possível forma de realizar a operação de resgate e desembarque dos cerca de cinco mil marinheiros, de maneira que sejam devidamente isolados os casos de infectados, mas no entanto não há decisões de datas para o procedimento.

Pandemia alastra nos Estados Unidos

Modly afirmou que o novo coronavírus não terá impacto nas presentes missões de segurança nacionais e fez ainda um apelo aos tripulantes. Thomas Modly pediu que mantenham a sua calma, pois apesar de haver suspeitas de infecção a bordo não há registos de sintomas graves e que os marinheiros do porta-aviões, actualmente infectados, terão que seguir as medidas de isolamento profiláctico e de higiene que forem possíveis de concretizar.

O novo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, tem ao dia de hoje o registo nos EUA de mais de 189 mil infectados e pelo menos 4080 mortes.

O porta-aviões Theodore Roosevelt é um dos três primeiros navios do género da marinha e é considerado um super porta-aviões, pelo seu tamanho, capacidade e meios. Esteve presente em várias actuações militares de grande importância, tais como, os conflitos da Guerra do Golfo, várias respostas ao ataque de 11 de Setembro, no Afeganistão e numa intervenção da Síria contra grupos de jihadistas, terroristas do Estado Islâmico. Foi baptizado com o nome do vigésimo presidente norte-americano.

Não perca a nossa página no Facebook!