Carole Baskin, que ficou conhecida pelas batalhas com Joe Exotic que a série "Tiger King: Murder, Mayhem and Madness" documentou na Netflix, vai passar a controlar o zoo anteriormente pertencente ao seu inimigo. Tudo em resultado de uma vitória no litígio em tribunal com o Greater Wynnewood Exotic Animal Park, empresa outrora detida por Joe Exotic.

Este é mais um desenvolvimento da batalha legal que dura há quase uma década. Em 2011, Exotic foi obrigado a pagar 1 milhão de dólares (891 mil euros) a Baskin após esta ter ganho a ação judicial por violação de direitos de autor. Sete anos depois, o tribunal decidiu que o zoo, antiga propriedade de Joe Exotic, passa a ser gerido pela organização liderada por Baskin - Big Cat Recue Corporation.

Baskin passa assim a contar com mais 6,5 hectares de terra em Oklahoma, que contém vários tigres e outros animais de grande porte.

Uma fixação internacional

Mais de 30 milhões de pessoas viram a série documental "Tiger King" nos primeiros 10 dias após ser lançada na plataforma Netflix, a 20 de março deste ano. Esta série documentou em detalhe a batalha judicial entre os dois protagonistas, Joe Exotic e Carole Baskin.

A série apresentou ao público Joe Exotic, ex-proprietário do então Greater Wynnewood Exotic Animal Park, alguém com particularidades interessantes. No entanto, ao longo da série, o público passa a conhecer um pouco mais acerca de como o parque é gerido, assim como as personagens por trás das jaulas.

Além do seu emprego como dono de um zoo, Exotic foi também policia e candidatou-se, por três vezes, a cargos políticos. Uma dessas candidaturas foi em 2016, como independente, a presidente dos Estados Unidos da América.

Exotic, ex-proprietário do zoo até agora administrado pela corporação Greater Wynnewood Development Group, de Jeff Lowe, também ele um dos protagonistas do documentário, parecia estar alegadamente envolvido em vários crimes de abuso de animais.

Esta foi a razão pela qual Carole Baskin, dona de um santuário animal na Florida, que contém vários tigres (entre outros animais), tem, desde sempre, sido uma voz ativa na critica ao abuso de animais cometido por Joe Exotic através de manifestações e da sua página de Facebook e Youtube.

A batalha judicial entre ambos teve agora um desfecho favorável a Baskin, uma empresária que passa a contar também com vários novos veículos, assim como algumas cabanas que se encontram no terreno.

Destino de Joe Exotic

Joe Exotic, cujo verdadeiro nome é Joseph Allen Maldonado-Passage, continua a servir a sua sentença de 22 anos de cadeia pela tentativa de homícidio de Carole Baskin, assim como por vários crimes de maus tratos de animais.

Os anteriores proprietários, Greater Wynnewood Development Group, administrada por Jeff Lowe, deverão abandonar a propriedade, por ordem do tribunal, nos próximos 120 dias e levar consigo todos os animais que lá se encontram. Jeff Lowe não aparenta estar preocupado com a decisão do juiz uma vez que está em fase de abertura do seu novo zoo em Thackerville, Oklahoma, que deverá abrir também nos próximos 120 dias.

Não perca a nossa página no Facebook!