Deixe Lisboa para trás, atravesse a ponte sobre o Tejo e comece uma viagem de descoberta pelo litoral norte alentejano. Conheça as paragens obrigatórias neste passeio único e inesquecível por cidades e vilas alentejanas onde se respira tranquilidade, bem estar e natureza e onde não faltam motivos de interesse.

Publicidade
Publicidade

Campo, praia e cultura - nada vai faltar nesta expedição que vai ficar marcada pelas boas recordações. Venha à boleia das nossas sugestões.

1 - Alcácer do Sal é a guardiã do rio Sado, que a partir deste ponto começa a alargar-se progressivamente para formar o seu largo estuário. Subindo ao castelo, contemplando a curva que faz o rio e a planície em frente, é fácil imaginar a importância estratégica que teve no avanço de D. Afonso Henriques para sul, contra os "moiros".

Praia em Porto Côvo (foto de T. Talhas)
Praia em Porto Côvo (foto de T. Talhas)

Mas é a avenida ao longo do rio que convida a um bom prato de caracóis e a uma cerveja - isto para quem não vai pegar no carro, cruzando a ponte em direcção ao sul.

2 - Vila Nova de Santo André é um caso único no urbanismo português e, só por isso, merece uma visita. Ao contrário de países novos e experimentais como o Brasil ou os Estados Unidos, em Portugal temos pouquíssimos exemplos de povoações planeadas de raiz. Vila Real de Santo António é uma delas, mas do século XVIII.

Publicidade

Já no século XX temos Santo André, projectada para servir de apoio ao complexo portuário e industrial de Sines, que foi o grande sonho do desenvolvimento dos anos 60 e 70. O sonho não cumpriu as expectativas, mas Santo André foi ficando, parente nova entre as velhíssimas Sines e Santiago do Cacém. É percorrer as ruas rectilíneas, as casas modernas, o estabelecimento de Ensino Superior, e pensar que estamos numa Brasília à escala do Alentejo. Além disso, estamos perto da Lagoa de Santo André, óptima para as crianças, pela calmaria nas suas águas.

3 - Em Sines, a estátua de Vasco da Gama (que nasceu aqui) recorda uma vocação marítima que se mantém no grande porto. E não é por causa da refinaria de petróleo que a areia da praia urbana é preta; ela é mesmo assim, caso raro na costa portuguesa, e uma tabuleta informa para essa situação. Marque na agenda um regresso para o Festival Músicas do Mundo, que anima a cidade em julho.

4 - Logo abaixo está Porto Côvo, cantada por Rui Veloso.

Publicidade

Aqui a costa torna-se alta, de falésia, pelo que há que escolher uma das suas cinco praias. A praça central, quadrada e larga, e as ruas rectilíneas denunciam também a origem de Porto Côvo: é mesmo pombalina, planeada como Vila Real de Santo António, mas conserva o charme e encanto de uma tradicional aldeia alentejana. Em julho e agosto, apanhe o barco e vá descobrir a Ilha do Pessegueiro.

5 - Vila Nova de Milfontes continua a ser o paraíso à beira-mar, entre a tranquilidade dos hotéis e a baixa densidade.

Publicidade

Aqui não chegou ainda o grande Turismo de massas. O estuário do rio Mira permite combinar as ondas marítimas com as águas mais calmas para as crianças. E não faltam bons restaurantes com vista para este belo postal ilustrado, onde está o castelo que guardava a entrada deste rio navegável em tempos antigos. A ponte convida a continuar para sul... em outro dia.

Leia tudo