Hamburgo é uma cidade que tem vivido, ao longo da sua história, vocacionada para o mar apesar de estar situada entre dois rios, o Alster e o Elba. O seu porto representa metade do tráfego marítimo nacional e é o segundo maior na Europa depois do porto de Roterdão. A sua importância surgiu, sobretudo, a partir do século XIV e faz parte da vida da cidade desde essa data. Nos tempos livres, os turistas, podem observar o grande movimento do porto comercial e também o de cruzeiros. Este facto atesta a importância de Hamburgo nas rotas comerciais e turísticas na Europa e no Mundo.

Publicidade

Relativamente a atividades disponíveis dentro do perímetro urbano de Hamburgo, também o barco é essencial pois é frequente os turistas utilizarem este meio de transporte para conhecerem a cidade. Hamburgo é composta por vários canais e existem mais de 2 mil pontes, o que constitui recorde europeu.

Hamburgo foi fundada no século IX e naquela época era um pequeno povoado saxão que continha um castelo construído por ordem do imperador Carlos Magno. Mais tarde, foi transformada em zona franca e associou-se a Lubeck, sendo assim criada a Liga Hanseática.

Posteriormente, em 1510, tornou-se uma cidade imperial com boas relações comerciais com os países bálticos.

Nos tempos mais modernos, Hamburgo passou por alguns acontecimentos negativos, como o bombardeamento durante a Segunda Guerra Mundial e um maremoto que devastou a cidade e matou 315 pessoas em 1962.

A marca portuguesa

Atualmente, Hamburgo é a segunda maior cidade alemã, depois de Berlim, com quase dois milhões de habitantes. A população é multicultural e uma das comunidades que se destaca é a portuguesa.

Publicidade

O Portugiesischen Viertel é um bairro onde se concentra a maioria dos portugueses que vivem na cidade. A presença portuguesa em Hamburgo existe desde o século XVI, quando os judeus sefarditas foram expulsos de Portugal e encontraram na região hanseática do mar do Norte um local de abrigo.

Atualmente existem cerca de 12 mil portugueses na cidade e é a maior comunidade portuguesa na Alemanha. Na rua Dietmar Koel situam-se diversos restaurantes e pastelarias portuguesas onde se podem apreciar produtos típicos como o galão, o pastel de nata, o bacalhau e o vinho verde.

Também é comum haver bailes e concertos de cantores portugueses, além de alguns grupos musicais criados dentro da comunidade que vive em Hamburgo. É de realçar que os alemães têm uma imagem positiva da comunidade portuguesa, pois esta é dedicada, trabalhadora e simpática e integrou-se bem na sociedade alemã.

Acrescento também que gostam da gastronomia portuguesa e assistem aos jogos da Seleção de Portugal nos locais públicos existentes neste bairro. A ligação a Portugal também é visível fora desta zona, visto que foi inaugurada recentemente a rua Amália Rodrigues no bairro de Altona e há uma estátua de Vasco da Gama na zona moderna de Hafencity.

Publicidade

Esta área localizada junto ao porto de Hamburgo caracteriza-se por ter praças com nomes de marinheiros, incluindo do famoso navegador português.

Hafencity é um projeto de grande dimensão que representa a modernidade da expansão urbana de Hamburgo e é um local onde muitas empresas instalam as suas sedes. No entanto, um edíficio se destaca nesta área e alberga a Orquestra Filarmónica de Hamburgo. Foi construído sobre um antigo armazém de cacau, chá e tabaco e é composto por três salas de espetáculos, dois hotéis, restaurantes e lojas. A sua dimensão, funcionalidade e estilo moderno são caraterísticas que o tornam no novo símbolo da cidade. Espera-se que Hamburgo consiga atrair mais turistas com a criação deste projeto que demorou mais tempo e dinheiro na sua construção do que estava inicialmente previsto. Esta situação não agrada à população local e, deste modo, é essencial haver retorno financeiro com esta obra. O turismo é uma atividade que pode ter papel fundamental para dinamizar este espaço e a cidade no seu todo.

Também localizado neste bairro temos o Mercado de peixe (fischmarkt), que está aberto aos domingos entre as 5h00 e as 9h30m (abril a outubro) e entre as 7h00 e 9h30 nos restantes meses, nas margens do rio Elba. O mercado tem este horário por motivos religiosos, pois permite às pessoas irem à missa de domingo.

Locais históricos a descobrir

Um dos locais de maior interesse de Hamburgo é a Câmara Municipal, ou Rathaus na designação em alemão. É um edificio de estilo renascentista do século XIX e foi construído com o aspeto atual após um incêndio que afetou a cidade em 1842. Até essa data, havia um edificio mais pequeno e menos imponente, originário de 1230. Apesar de muitos edifícios terem sido destruídos durante a Segunda Guerra Mundial, a Câmara conseguiu escapar ilesa. O público tem a oportunidade de realizar uma visita guiada onde pode encontrar o brasão de Lisboa, visto que há relações comerciais entre as duas cidades. O edifício da Câmara tem 647 salas, incluindo o Parlamento.

Em termos religiosos, a Igreja de São Miguel, é uma das mais importantes e visitadas de Hamburgo. É uma igreja protestante construída em 1647 em estilo barroco, caracteriza-se por ter uma cúpula verde e é dedicada ao arcanjo São Miguel. O seu maior atrativo é a torre de relógio com 132 metros de altura. Esta é muito concorrida pelos turistas, que despendem 5 euros para subir de escadas ou de elevador e apreciar a magnífica vista da cidade. Devido à sua altura, as pessoas conseguem avistá-la no momento em que chegam a Hamburgo, através dos numerosos navios de cruzeiro que passam pela cidade diariamente.

A zona de Speicherstadt, Património Mundial da UNESCO desde 2015, é um local obrigatório de visita. Foi construído sobre pilares de madeira e é composto por um conjunto de edifícios neogóticos em tijolo provenientes do período de 1883 a 1927. Naquela época, funcionava como armazém de mercadorias que diariamente chegavam ao porto de Hamburgo.

Atualmente, nesta área, há um hotel, restaurantes, escritórios e dois museus interessantes que merecem a atenção do público. O primeiro é o Miniatur Wunderland. É o museu mais visitado da Alemanha, com 1,6 milhões de visitantes anuais, e inclui diversas miniaturas de locais e regiões do mundo. Quem entrar neste espaço pode encontrar exemplos da Alemanha, Suíça, Estados Unidos, Escandinávia e Itália. A Praça de São Pedro no Vaticano está representada no museu, assim como o aeroporto de Hamburgo, que é uma das miniaturas preferidas do público. Este museu é interativo, visto que os visitantes podem utilizar os botões de controlo existentes que permitem dar movimento às miniaturas – por exemplo, abrir uma ponte elevadiça e mover trenós.

O Museu Marítimo também situado em Speicherstadt é a maior coleção privada de objetos naúticos do mundo, incluindo uniformes, modelos de barcos e planos de construção. O espólio do museu surgiu por iniciativa de um rapaz alemão que colecionou diversos artigos relacionados com o mar ao longo da sua vida com a ajuda de familiares e amigos. Desde 2000 foi disponibilizado um espaço num antigo armazém para tornar esta coleção privada num museu aberto ao público, inaugurado oficialmente em 2008. O museu representa mais de três mil anos da história marítima e demonstra a importância do porto para a cidade de Hamburgo e também a nível europeu e mundial. É de referir que o museu é constituído por 9 andares ou decks (vocabulário marítimo), cada um com um tema diferente.