Depois de em 2006 um caso de clonagem de cartões multibanco ter feito dezenas de lesados no distrito de Leiria, uma nova vaga deste Crime pode ter acontecido. Não havendo ainda certezas quanto à dimensão da situação, para já estão confirmadas duas vítimas na cidade de Leiria. Sandra Santos foi uma das vítimas e viu ser-lhe levantado ilegalmente todo o dinheiro da sua conta. A PSP já está a investigar.

Em 2006 deu muito que falar na região de Leiria o crime de clonagem de cartões multibanco, que na altura fez mais de 200 vítimas, com especial incidência nas zonas da Marinha Grande, Benedita, Alcobaça e Caldas da Rainha.

Após as investigações, concluiu-se que a clonagem teria sido feito numas bombas de gasolina na Benedita, tendo sido clonados mais de 130 cartões, o que resultou numa fraude de mais de 50000 euros, valor que os bancos reembolsaram.

Agora, uma nova fraude parece ter acontecido.

Segundo revela o jornal Diário de Leiria desta quarta-feira, 28 de Outubro, Sandra Santos, uma residente no Planalto, foi vítima deste crime, tendo visto todo o seu dinheiro ser roubado da sua conta. Em declarações ao jornal, Sandra Santos esclarece: "Sabemos que os levantamentos foram feitos num banco na  Avenida Combatentes da Grande Guerra, mas não temos certezas onde o cartão foi clonado".

Mas o caso de Sandra Silva poderá não ser o único na região e existe também um comerciante da zona do Planalto que terá sido igualmente vítima deste crime, tendo sido feitos dois levantamentos da sua conta. Ainda não se sabendo o local onde terão sido feitas as clonagens, e se existem mais vítimas, para já existe um ponto em comum em ambas as vítimas, como esclarece Sandra  Santos: "Temos um ponto em comum: um supermercado.

Os melhores vídeos do dia

Pelo que percebi é um processo simples de se fazer. Põe-se um aparelho perto do leitor do cartão, ou seja, dos Terminais de Pagamento Automático (TPA), que regista os dados como o PIN", explicou. Com a PSP já a investigar os crimes, resta esperar que estas tenham sido situações pontuais e que não estejamos perante uma enorme vaga de cartões clonados, como aconteceu em 2006.