Uma rapariga de 20 anos, de nacionalidade ucraniana, ficou hoje em estado de choque depois do seu filho ter morrido ao cair de um sexto andar. A jovem mãe, grávida de 18 semanas, teve de receber acompanhamento psicológico, assim como outros familiares da pequena criança. O menino estava na casa da avó quando se terá debruçado e caído de uma janela. A mulher ficou em pânico e foi recolher o bebé levando-o para casa. Quando chegaram os socorristas já o bebé estava em paragem cardiorrespiratório não tendo conseguido reverter a situação.

Publicidade
Publicidade

Foi uma manha de choque e de consternação aquela que se viveu neste domingo, 12 de Março, na Quinta da Piedade, na Póvoa de Santa Iria. Ainda não eram 11 horas quando soou o alarme no Comando Distrital das Operações de Socorro da Autoridade Nacional de Protecção Civil. Uma criança de apenas dois anos de idade terá aproveitado uma pequena distracção da avó e caiu da janela de casa, localizada no sexto andar de um edifício da Rua Padre Manuel Duarte, naquele concelho de Vila Franca de Xira, distrito de Lisboa.

Quando os socorristas chegaram ao local encontraram o bebé em paragem cardiorrespiratória
Quando os socorristas chegaram ao local encontraram o bebé em paragem cardiorrespiratória

O menino caiu no chão de uma praceta, nas traseiras do prédio.

Em estado de pânico, a avó da criança foi ao local recolher o corpo do bebé levando-o para o apartamento, dando o alerta e pedindo por socorro através do número de emergência 112. Quando os bombeiros da corporação de Póvoa de Santa Iria e os elementos da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) chegaram ao local, encontraram o menino em paragem cardiorrespiratória.

Publicidade

Apesar dos esforços e das manobras de reanimação, não conseguiram reverter a situação, tendo sido declarado o óbito.

Quando a mãe da criança, uma jovem de 20 anos, grávida de 18 semanas e mãe de um outro filho com cerca de seis anos, ficou em estado de choque, assim como outros familiares. Perante a situação, o Instituto Nacional de Emergência Médica enviou para o local uma equipa de apoio psicológico. O cadáver da criança foi removido do interior da residência ao final da tarde, depois de realizadas as respectivas perícias por parte das autoridades policiais, tendo sido transportado para o Gabinete de Medicina Legal e Forense.

Leia tudo e assista ao vídeo