No dia 10 do corrente mês, por volta das 18.30h, recebi atriste notícia do falecimento do meu tio José Carlos Tiene Monteiro, maisconhecido por Zeca, vítima de cancro nos pulmões. O filho, Miguel BritoMonteiro, ex-jogador do SLBenfica e Valência, ainda seguia viagem no avião, comos irmãos, na esperança de ver o pai com vida, infelizmente já não foipossível.

Confesso que fiquei arrasada com a notícia. Não sabia o quehavia de fazer, se chorava, se gritava, se orava, as minhas forças foram porterra. Todos os dias morrem pessoas, uns mais velhos, outros mais novos. Énatural que isso aconteça. Contudo pela lei natural implementada na Bíblia, quefala da queda de Adão e Eva, não devíamos seguir uns atrás dos outros, pelaordem genealógica?

Ou seja, não deviam morrer os bisavôs, primeiros, depois osavôs, a seguir os pais e só depois os filhos e netos, por outras palavras,primeiro os mais velhos e depois os mais novos?

Desde o início dos tempos temvindo a acontecer mudanças relativamente as partidas deste mundo, se não pelaguerra, então pela doença. Tudo isso são consequências dos nossos atos nopassado. Peço-vos irmãos, vamos tornar este mundo melhor, uma casaonde todos possamos habitar em paz, e tentar mudar algo que está errado emnossas vidas. Só posso dizer, que Deus tenha piedade das nossas almas e quetenha o meu tio e todos os inocentes que partem na Sua Santa Paz e Glória.

Comesse grande homem aprendi o termo força.

Sempre que falava com ele dizia me:“estou bem. As coisas vão bem. Agora quero é saber de ti. Tu estás bem”? Comopodia alguém naquela situação se preocupar com os outros e dar forças para quenão desistam? O meu tio não desistiu. Lutou até o fim. O funeral será na próxima sexta-feira. Ainda não me sintocompletamente restabelecida, pois perdi o meu pai há três anos, o marido daminha tia se foi há menos de seis meses e agora o meu tio querido.

Era um homemmanso e amigo de seus amigos. É assim que todos devemos ser para que, no dia davinda do filho do Homem, possamos ser escolhidos para governar sobre estemundo.

É assim a vida. Nada podemos fazer para evitar a morte. Costuma-se dizerde que é a única certeza que temos na vida, mas eu digo que não.

Também, setemos fé, temos de ter a certeza de que as coisas não acabam aqui. Há uma outravida além desta vida e é nisso que devemos pensar para que possamos estar entreos escolhidos. Um dia perceberão de que afinal não é assim tão ruim sermosmansos e humildes de coração. Só espero que, quando chegar esse dia, não sejatarde demais para nós. Paz à alma do meu tio, pois era um bom homem e eu oamava muito. E paz às almas de todos os que já foram. So god help us.

Não perca a nossa página no Facebook!