Todos nós temos as nossas crenças, religiões, convicções e, por vezes, manias. Mas isto não e razão para a andarmos por aí a matar a torto e a direito, como aconteceu no atentado ao jornal Charlie Hebdo. As crenças devem ser respeitadas por todas as partes. Os autores do massacre agiram por sentirem as suas crenças ridicularizadas; no entanto não respeitaram a opinião das outras partes, vingando e matando de forma macabra.

A união e solidariedade mundial em torno deste massacre foram muito além do esperado e nunca um atentado deste tipo criou tamanha corrente solidária, o que mostra a união e vontade de vencer esta luta desigual contra o Terrorismo.

Publicidade

A liberdade de expressão foi alvo de um grande golpe. No entanto, não caiu. Pelo contrário, tornou-se mais forte e um símbolo disso mesmo foi o renascer de Charlie Hebdo em poucos dias, e com uma procura muito superior ao normal.

O que se pede nesta luta contra o terrorismo é moderação; não devemos ser submissos e viver com receio, nem pelo contrário fazer forte oposição e provocar mais conflitos, colocando vidas inocente em risco. Se a forma como Charlie Hebdo se levantou das cinzas é louvável, já a forma como a resposta foi dada por parte deste nem por isso: A frase "tout est pardonné - Je suis Charlie", associada à caricatura, pode ser o acender do rastilho de ataques descontrolados.

O pânico está instalado e um pouco por toda a Europa o medo está presente.

Esta forma de resposta por parte do Charlie Hebdo vem colocar em causa a segurança e estabilidade, neste caso particular dos franceses. Não devemos nem podemos de foram alguma colocar em risco vidas humanas.

Este massacre demonstra que os terroristas utilizaram todos os meios necessários para marcarem a sua posição. Seja qual for a razão e independentemente da sua dimensão, uma simples caricatura que para nós não representa praticamente nada e é motivo de algumas gargalhadas, para outros pode ser um assunto muito sério e com consequências drásticas.

Publicidade
Os melhores vídeos do dia

A luta contra o terrorismo deve ser realizada com ponderação, moderação e muita inteligência.