No final da tarde desta terça-feira, 29 de Março, pelas 19:40, no bairro da Ameixoeira, na alta de Lisboa, uma rixa entre famílias de etniacigana terminou em tiroteio. A PSP, após ter sido avisada da ocorrência, enviou prontamente agentes para o local para acabarem com os confrontos entre populares. As agressões começaram logo depois dos agentes chegarem àrua António Vilar, ao que se seguiu uma troca de tiros, dos quais resultaramcinco feridos: três agentes da PSP e duas mulheres civis.

Os polícias, um deles em estado considerado grave, e as duas vítimas civis foram prontamente transferidos para o Hospital de Santa Maria. De acordo com as informações prestadas pelo hospital e peloporta-voz da Direção Nacional da PSP, Hugo Palma, os agentes baleados encontram-se fora de perigo e as duas civis estão estabilizadas.

Os polícias feridos faziam parte da Brigada de Investigação Criminal e estariam vestidos à civil.

Segundo o porta-voz da PSP, os três agentes foram baleados logo à chegada ao local.

Vários membros de investigação criminal efectuaram diversas buscas nos prédios da zona, na tentativa de encontrar e identificar os autores destes disparos, não existindo, para já, notícia de qualquer detenção. Segundo Hugo Palma foi recolhida uma caçadeira, mas não existe informação se a mesma terá sido usada nos confrontos.

No localfoi montado um perímetro de segurança para a Polícia Judiciária proceder à recolha de vestígios, uma vez que a investigação está agora a seu cargo.Foiinclusive solicitado a todos os jornalistas que mantivessem uma distância de segurança do local do tiroteio, pois o ambiente está tenso. O bairro que, como todos sabem, já tem um enorme historial de situações semelhantes, está praticamente cercado pela polícia.

O Corpo de Intervenção também já lá se encontra para dar apoio na manutenção da ordem pública e para evitar mais desacatos.

Esperemos que o agente da PSP que ficou em estado grave sobreviva, e que os três, recuperem e voltem ao activo o mais rapidamente possível. E que os culpados sejam apanhados brevemente e sejam devidamente condenados e punidos. E mais uma vez se verifica, que ser polícia, é mesmo ter uma profissão de risco.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo