Anúncio
Anúncio

Um agente da PSP do Seixal, de 47 anos, foi neste sábado (23 de abril), alvo de espancamento por um grupo de 15 homens num bar da Amora, pelas 6 horas da manhã. O Polícia em questão estava de folga, ia acompanhado de um amigo e quis apenas cumprimentar o dono do bar. Mas um dos agressores, que se encontrava no local, começou logo a injuriá-lo. E por esse homem apresentar tal comportamento foi convidado a sair do bar. O agente saiu quase logo a seguir.

Quando o agente da PSP já se encontrava sozinho e caminhava para o seu carro, o homem que o insultara antes, agora já acompanhado por amigos, atacou-o de imediato.

Foi pontapeado e esmurrado várias vezes, mas assim que conseguiu sacar da sua arma pessoal fez vários avisos antes de efetuar 4 disparos para o ar. 

Mas nem com os tiros de advertência o gang parou, tendo voltado a espancar o agente. Este, ao ser agredido novamente, fez outro disparo, mas dessa vez a bala atingiu mesmo um dos agressores numa virilha. E somente com o barulho das sirenes dos carros da PSP é que os agressores se puseram em fuga, tendo dois deles sido detidos.

Advertisement

Já no final da tarde de ontem, a PJ de Setúbal (que ficou com os detidos) ponderava em simultâneo com o Ministério Público a apresentação dos dois detidos a tribunal por homicídio tentado ou por ofensas corporais graves.

Relativamente ao agente da PSP espancado, foi posteriormente hospitalizado e já teve alta hospitalar. Encontra-se no entanto com um braço deslocado, vários hematomas pelo corpo e precisou ainda de ser suturado na língua, que por pouco não ficou toda rasgada. De momento o agente da PSP em questão está de baixa por tempo indeterminado.

Mais uma vez se verifica que os agentes da PSP correm riscos mesmo quando não se encontram a trabalhar.

Não existem dúvidas nenhumas de que ser polícia é, na verdade, ter uma profissão de risco.

As sociedades morrem, as políticas mudam-se, mas quem é que permanece sempre? A polícia, pois claro! E ainda bem, sabem porquê? Porque realmente hoje, mais do que nunca, Portugal e os portugueses precisam dos seus polícias para combaterem a criminalidade e os criminosos!