O rapaz de feições indígenas chama-se Jaime Melo, mas é mais conhecido por Jaloo;tem 28 anos e nasceu no Pará, no Norte do Brasil. Considera-se uma pessoa exótica e visual, adjectivos que parecem condizer muito bem com a sua Música.O artista é um misto de cantor, DJ e produtor musical, com músicas que misturamvárioselementos singulares e são cheias de personalidade.

Podemos dizer que a essência do seu trabalho é o ecletismo.

Inspira-se tanto na música de guetos de África, como na das favelas, passando ainda por alguns artistas experimentais, mas é principalmente na música de dança queencontra a sua maior fonte de inspiração. As suas principais influências musicais são M.I.A, Robyn, Siae Gal Costa. O resultado é híbrido, é psicadélico e electrónico, mas ao mesmo tempo kitsch edespretensioso.

Jaloo ficou conhecido na internet há cinco anos, quando começou a fazer versões electrónicas de músicas conhecidas, como Back to Black,de Amy Winehouse, ou I Feel Love ,de Donna Summer, entre outras.Quando partilhou aquelas músicas chamou atenção de muita gente, incluindode um produtor que o levou para São Paulo, onde Jaloo vive actualmente.

Em 2013 lançou o seu primeiro álbum - só de covers - intitulado de "Couve", de forma independente. Hádois anos lançou o seu segundo álbum, chamado deInsight, com apenas quatrocanções, sendo três de autoria própria.

Presentemente está ainda promover o seu último trabalho, "#1", lançado no último mês deOutubro, consideradocomo um dos melhores álbuns de 2015 em diversas apreciações críticas. Conta já com uma sequência de canções inéditas que mostram a evolução e o amadurecimento do músico, não apenas no que diz respeito à sonoridade, mas também às letras.

Jaloo também tem realizado alguns dos seus videoclips, com o objectivo de dar um significado visual e pessoal à sua música.Ele tenta construir uma personagem que explora uma masculinidade idiossincrática, que rompe com expectativas da sociedade actual e que aposta na excentricidade.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo