Esta segunda-feira (3 de outubro), a Polícia Judiciária (PJ), munida de mandados de busca e de detenção, deslocou-se ao bairro da Torre (Loures) para efetuar buscas, que tiveram início pelas 07.45 horas. A PJ investigava um grupo que fazia assaltos a carrinhas de transporte de tabaco. Os 3 indivíduos que estiveram envolvidos no tiroteio no Porto Alto, na passada sexta-feira (30 de setembro) também faziam parte desse mesmo grupo.

O tiroteio no Porto Alto

Esse tiroteio aconteceu após uma perseguição que começou na ponte Vasco da Gama (Lisboa), quando três homens numa viatura desobedeceram a uma ordem policial de paragem, e terminou no Porto Alto (Benavente).

Publicidade
Publicidade

E só terminou quando a viatura em fuga sofreu um despiste. Após esse mesmo despiste, um dos suspeitos saiu do carro e começou a atirar com uma arma semi-automática, HK P7 9 mms, contra os militares da Guarda Nacional Republicana (GNR). Acto contínuo, em legítima defesa, os militares ripostaram, e acabaram por atingir mortalmente o atirador. Um dos militares foi também atingido, com 3 projéteis (dois numa perna e um num braço). Dos 3 suspeitos, o atirador morreu, mas os outros dois fugiram; um deles barricou-se mesmo dentro de um café, mas mais tarde, acabaram ambos detidos.

Corpo de Intervenção da Unidade Especial de Polícia para manutenção da ordem publica
Corpo de Intervenção da Unidade Especial de Polícia para manutenção da ordem publica

Foram já detidos e considerados arguidos, com a medida de coação de prisão preventiva, pela prática de roubo, sequestro e homicídio qualificado, na forma tentada, entre outros crimes.

Pistas levam a Loures

Mas, para efetuar essas mesmas buscas, a PJ contou pediu a colaboração da Polícia de Segurança de Pública (PSP), e esta por sua vez, convocou também três das cinco subunidades da Unidade Especial de Polícia (UEP), o Corpo de Intervenção, o Grupo de Operações Especiais e o Grupo Operacional Cinotécnico.

Publicidade

A Unidade Especial de Polícia

Convém aqui referir que a Unidade Especial de Polícia (UEP) surgiu de uma enorme reestruturação da própria PSP, e é uma unidade especialmente vocacionada para operações de alto risco. As suas áreas de atuação incluem manutenção e restabelecimento da ordem pública, resolução e gestão de incidentes críticos, intervenção táctica em situações de violência concertada e de elevada periculosidade e complexidade, segurança de instalações sensíveis e de grandes eventos, segurança pessoal dos membros dos órgãos de soberania e de altas entidades, inactivação de explosivos e segurança em subsolo e aprontamento e projecção de forças para missões internacionais.

Detenções e apreensão de armas

Dessa mega-operação policial, resultaram 11 detenções e a apreensão de algumas armas. E o combate ao tráfico de armas continua...

Leia tudo e assista ao vídeo