Pelas 02.00 horas da manhã de sexta-feira passada (25 de Novembro), dois homens terão alegadamente furtado um carro pertencente a um homem de 50 anos. Durante esse furto, os suspeitos mantiveram sempre a vítima sob a ameaça de uma arma de fogo e colocaram-se de imediato em fuga para o bairro da Bela Vista, na Buraca (Amadora).

A Polícia de Segurança Pública (PSP) foi notificada pouco tempo depois pela vítima do “carjacking” e prontamente uma patrulha se deslocou à rua Santo Antão, na cova da moura, onde o carro ainda se encontrava.

Publicidade

Junto ao automóvel em questão encontravam-se os suspeitos, que quando se aperceberam da presença policial logo dispararam contra os polícias e colocaram-se em fuga.

Horas mais tarde, aproximadamente cerca das 16.30 horas, na rua Principal da Cova da Moura, a polícia deteve um homem. O detido em questão já tinha cadastro e foi mesmo apanhado com uma arma proibida (revólver). Foi imediatamente conduzido à esquadra, logo depois de ser detido.

Entretanto, ontem (26 de Novembro), cerca das 03.00, a PSP recebeu mais uma chamada para o mesmo local do bairro da Bela Vista devido a uma provável desordem.

A PSP enviou então duas Equipas de Intervenção Rápida (EIR) mas, logo à entrada do bairro, aperceberam-se que uma rua se encontrava barrada por dois carros. E quase de imediato começaram a cair pedras e garrafas a partir dos telhados de vários prédios; as carrinhas foram mesmo atacadas com um "cocktail molotov". Somente depois de os agentes policiais realizarem diversos disparos de intimidação com uma "shotgun", para o ar, é que a referida emboscada terminou. Dois polícias acabaram mesmo por ficar feridos, depois de terem sido apedrejados e de terem sido arremessadas garrafas.

Publicidade
Os melhores vídeos do dia

Segundo podemos ver hoje (27 de Novembro) no Correio da Manhã, esse ataque às EIR da PSP estará mesmo relacionado com a detenção do homem e com o furto do carro ocorrido na sexta-feira passada.

Mais um de muitos episódios que reforçam o clima de enorme tensão vivida entre a população da Cova da Moura e as autoridades. Ainda no mês de Fevereiro a PSP foi acusada de violência policial por um grupo de pessoas da Cova da Moura .