Mais uma acusação do ministério público (MP) contra os agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP), mas desta vez, especificamente contra 11 efectivos do Corpo de Intervenção, por crime de ofensa à integridade física grave qualificada. Ao que parece, em Outubro de 2014, num jogo da 7.ª jornada da I Liga da época 2014/2015, no estádio do Vitória de Guimarães, que recebeu o Boavista, alegadamente terão acontecido agressões desses agentes do corpo de intervenção (CI) a um adepto axadrezado.

Como tudo aconteceu

Tudo terá acontecido após a chegada dos autocarros que transportavam os adeptos do Boavista. Um dos agentes supostamente solicitou a um adepto que se dirigisse para um determinado local e o mesmo não obedeceu a ordem policial.

Após a desobediência à ordem, o agente do Corpo de Intervenção imobilizou o adepto, após o ter deitado no solo e efectuado a técnica de imobilização respectiva, que consiste em colocá-lo de cara para baixo e com um joelho nas costas de forma a imobilizá-lo completamente, conforme o Correio da Manhã já revelou na sua edição desta quinta-feira (26 de Outubro).

As acusações do Ministério Público

Mas ao que parece, a imobilização do visado para o Ministério Público foi já considerada um acto de violência policial. E o MP vai mais longe, acusando mais dois agentes do Corpo de Intervenção de agredirem o adepto boavisteiro com cotoveladas, pontapés, socos e com o bastão, e ainda os restantes agentes de terem criado um círculo em volta dos colegas e do alegado agredido para impedirem que o mesmo não recebesse socorros.

Os melhores vídeos do dia

Segundo a acusação, aparentemente, o adepto terá ficado sem o globo ocular direito, e a respectiva perda de visão e alterações faciais.

Corpo de Intervenção faz o acompanhamento das claques aos estádios nos jogos de alto risco

Nos jogos considerados de alto risco, o Corpo de Intervenção sempre é presença obrigatória no acompanhamento das claques, e tem o máximo cuidado com a segurança de todos os adeptos que acompanha até ao estádio. E é do conhecimento geral que quando alguém coloca em risco essa mesma segurança, eles agem em conformidade, e por vezes os desordeiros ficam até proibidos de entrar no estádio, permanecendo nas esquadras até ao fim do jogo.

O que é o Corpo de Intervenção da PSP

Convém relembrar que o Corpo de Intervenção é uma força de reserva à ordem do director nacional, especialmente preparada e destinada a ser utilizada em acções de manutenção e reposição de ordem pública, combate a situações de violência concertada e ainda em colaboração com os comandos no patrulhamento. Como poderemos verificar, esta subunidade da Unidade Especial de Polícia (UEP), quando a segurança das pessoas é o objectivo, não vacila.