Foi nesta quinta-feira (28 de Dezembro) que três homens acabaram detidos por coação e tentativas de agressão a agentes da Polícia de Segurança Pública (#PSP). As tentativas de agressão que ocorreram em três concelhos do distrito de Setúbal: Barreiro, Moita e Seixal.

Agentes da PSP agredidos em distúrbios numa unidade hospitalar do Barreiro

No Barreiro, foi numa unidade hospitalar que os distúrbios aconteceram, quando um homem, de 28 anos, ameaçou funcionários e danificou alguns dos aparelhos electrónicos dessa mesma unidade. A PSP, após ter sido alertada, enviou prontamente para o local uma patrulha. E foi quando os agentes chegaram que o suspeito reagiu violentamente, começando de imediato a ameaçar e injuriar os mesmos, tentando ainda agredir os polícias posteriormente.

Mas depois de imobilizado acabou detido.

Tentativa de agressão a policia em desacatos na Moita

Já na Moita, foram desacatos na via pública, entre dois homens, que fizeram uma patrulha deslocar-se ao local, para averiguar a situação, repor a ordem pública e acabar com os desentendimentos entre os dois homens envolvidos.

Mas imediatamente a seguir à chegada dos agentes, um dos envolvidos reagiu com enorme violência e tentou agredir um dos polícias. O alegado agressor, de 38 anos, acabou mesmo por ser detido por resistência e coação sobre um agente policial, conforme o Correio da Manhã já avançou numa das suas mais recentes edições informativas desta quinta-feira.

Agente policial agredido no Seixal

No Seixal, após terem alertado a PSP para um homem tombado no solo da via pública, foi prontamente enviada para o local uma patrulha.

Os melhores vídeos do dia

Quando chegaram ao local, os agentes da PSP aperceberam-se que o homem caído apresentava alguns ferimentos e tentaram ajudá-lo. Mas foi quando os polícias se aproximaram dele, e quando nada fazia prever, que o indivíduo se alterou, recusou mesmo identificar-se e empurrou um dos agentes da PSP, fazendo o mesmo cair desamparado.

Agressões contra agentes da PSP continuam sem castigo

As agressões contra os agentes da PSP prosseguem sem fim à vista. Os agressores continuam a ficar em liberdade e impunes em vez de ficarem em prisão preventiva a aguardarem julgamento.

Os polícias continuam com a sua própria segurança ameaçada durante o cumprimento do dever. Os tribunais esquecem é que não é apenas a segurança deles que fica em risco, mas sim a segurança de todos nós. #forças de segurança #agressões a policias