Estamos em Março e com a chegada da Primavera chega também a mudança de hora. Na noite de sábado, 24 de Março, para domingo, o relógio irá avançar 1 hora. Teremos assim menos uma hora de sono mas a vantagem de que os dias serão mais longos.

Mas... será mesmo uma 'vantagem'?

Como surgiu esta ideia?

Em 1784, Benjamin Franklin, bem conhecido pelas suas experiências com a electricidade, foi o primeiro a propor que se adiantassem os relógios, pois assim as horas de sol seriam mais aproveitadas. Na altura não existia luz eléctrica, e o cientista chegou até a apresentar cálculos de quantas velas se poupariam com esta medida. Ninguém lhe prestou atenção.

Foi com o início da Primeira Guerra Mundial, em 1914, que os países europeus começaram a sentir dificuldades na gestão de recursos, e surgiu a necessidade de poupar no carvão e, lá está, nas velas. Precisava-se de mais luz solar, logo a solução era aumentar o horário diurno.

Assim, em 1916, foi a Alemanha a primeira a mudar a hora, seguida por outros países da Europa e do mundo. Hoje, mais de metade dos países do globo participam nesta mudança de horário.

Mas... será que continua a fazer sentido essa mudança de hora?

É muito agradável que os dias sejam maiores, que a luz do sol entre pelas janelas da nossa casa até tarde. No entanto, há já algum tempo que se sabe que a economia provavelmente é mínima, mas as consequências na nossa saúde são imensas. Os estudos que têm vindo a ser feitos mostram que, na segunda-feira seguinte a esta alteração, os hospitais registam um aumento de mais de 20% de ataques cardíacos.

Vídeos destacados del día

Aumentam também as ocorrências médicas em geral como, por exemplo, o internamento por diabetes.

Os investigadores registaram também mais acidentes de viação neste período, pois o cérebro é tão sensível como o coração, nestas alterações, e acaba por se manifestar com lapsos de atenção.

Existem relatos de que o número de tentativas de suicídio aumenta também.

Ao principio pensava-se que seria apenas coincidência...

É que este ritual de mudança de hora interrompe os horários de sono, fazendo com que sejamos privados de cerca de 40 minutos deste precioso descanso.

O mais curioso é que, no outono, após a reposição do horário, a percentagem de ataques cardíacos diminui...

É como se o nosso corpo rejeitasse o relógio de verão e celebrasse o relógio de outono!

E se alguém ainda tinha duvidas sobre a importância do ciclo do sono...

Estamos perante uma 'tradição' que pode custar vidas.

Por isso o Parlamento Europeu pediu no mês passado que a Comissão Europeia reavalie esta alteração do relógio bianual.

E o argumento principal foi mesmo esse, o fim do #horário de verão pode trazer grandes benefícios à nossa saúde. Principalmente às crianças e idosos. Relativamente à população laboral, estudos também demonstraram que poderia aumentar a produtividade, já que o contrário acontece aquando da alteração.

Mas ainda existe quem seja contra. Ignorando estes estudos, muitos continuam ainda a defender que o horário de verão permite praticar mais actividades ao ar livre, economiza energia e beneficia o comércio.

Por enquanto a proposta tem mais votos a favor da mudança, do que contra; mas como terá de ser aprovada pelos Estados membros, ainda teremos alguns acidentes cardíacos, automobilísticos, e provavelmente laborais, até vermos o fim do relógio de verão.

Nos EUA já vários estados abandonaram esta mudança e outros continuam a insistir para que seja ignorada.

É necessário que a sociedade, os seus hábitos e costumes, comecem a ceder às descobertas da ciência importantes para a nossa saúde, física e mental. Para que serve o estudo ciêntifico se continuamos presos a 'tradições', que já se provaram ultrapassadas e possivelmente até mortais?

Se realmente já é conhecido que o ser humano tem dois relógios, um biológico, ligado ao funcionamento do seu corpo, e outro social, ligado aos horários do dia-a-dia; e que necessita que ambos funcionem em sintonia, não podemos continuar a ignorar esta informação.

Se o horário de verão não vem poupar a energia que se pensava e se ainda pode causar problemas graves, tenhamos a coragem de o abandonar de vez... #horario