Foi na manhã da última sexta-feira (9 de Março), que dois agentes do Corpo de Segurança Pessoal (CSP) sofreram um despiste seguido de capotamento da viatura topo de gama onde seguiam, em Aveiras, na A1. Os agentes estavam incumbidos de fazer a segurança pessoal do primeiro-ministro António Costa, numa visita deste ao norte do país.

Tinham sido destacados como batedores, e por isso mesmo, a sua missão era verificar se todas as condições de segurança estavam reunidas para as visitas de trabalho do governante em Vila Nova de Gaia e São João da Madeira.

Dois agentes do Corpo de Segurança Pessoal feridos

O condutor escapou ileso, mas ainda ficou com alguns arranhões e hematomas ao tentar auxiliar a colega a sair da viatura.

Mas a colega, de 30 anos, que seguia ao lado do condutor, acabou sofrer ferimentos graves. Devido à gravidade da situação, teve que ser prontamente transportada para o Hospital de Santa Maria em Lisboa. Segundo a edição do Correio da Manhã desta terça-feira (13 de Março), a 12 de Março a agente ainda se encontrava internada, mas já numa unidade hospitalar da sua área de residência: o Hospital Beatriz Ângelo em Loures.

Mau tempo no norte do país também contribuiu para despiste

Alegadamente, a forte chuva que na altura caía no norte de Portugal, com a passagem da tempestade “Félix”, terá favorecido o aparecimento de lençóis de água, o que complica em muito a vida aos condutores, por melhor que eles sejam. Apesar de toda a perícia e destreza que este agente condutor possa ter, uma estrada com lençóis de água, é sempre um enorme obstáculo e implica muito mais riscos.

Os melhores vídeos do dia

Outros factores que terão desencadeado o despiste da viatura

Alegadamente, também outros factores podem ter feito a diferença, e contribuído em muito para que o despiste tenha ocorrido. Tudo indica que a viatura em que seguiam já tinha mais de 200 mil quilómetros, que os pneus não estariam nas melhores condições (carecas), a autoestrada estava alagada e ainda pressão em cumprir os horários determinados pelas chefias superiores da PSP e do próprio gabinete do governante em questão.

Ainda segundo o Correio da Manhã, relativamente às viaturas de serviço, o efectivo do corpo de segurança pessoal tem contestado isso mesmo: falta de manutenção das viaturas de serviço e troca inexistente de pneus.

O que é o Corpo de Segurança Pessoal

Convém relembrar que o Corpo de Segurança Pessoal (CSP) é uma força especialmente preparada e vocacionada para a segurança pessoal de altas entidades, membros de órgãos de soberania, protecção policial de testemunhas ou outros cidadãos sujeitos a ameaça, no âmbito das atribuições da PSP.