Foi nos arredores do Instituto Português do Desporto e Juventude, em Faro, que na tarde desta última sexta-feira (27 de Abril), mais três agentes da Polícia de Segurança Pública (PSP) foram violentamente agredidos a soco e pontapés, e ameaçados com uma arma de fogo. Os polícias foram chamados ao local por causa de uma desordem na via pública na cidade de Faro. Tinha sido um jovem que tinha alegadamente ameaçado um homem com uma arma de fogo. Foram cerca de sete homens da Equipa de Prevenção e Reacção Imediata (EPRI) da PSP que se deslocaram ao local. Foi então que no bairro da Horta da Areia, um local muito próximo ao da ocorrência que conseguiram identificar um jovem de 21 anos que correspondia exactamente às características fornecidas pela própria vitima.

Polícias recebidos com agressões e ameaças com arma de fogo

Assim que chegaram ao local da ocorrência, os agentes da PSP foram prontamente recebidos com ameaças, e cercados por aproximadamente 20 pessoas. E foi no exacto momento em que tentaram confrontar o suspeito que as agressões foram desencadeadas. O término das mesmas somente aconteceu com a intervenção dos restantes agentes que se encontravam na viatura. Posteriormente ao ataque aos agentes da PSP, apenas duas pessoas acabaram detidas. Os detidos teriam 21 e 26 anos de idade aproximadamente.

Agentes da PSP transportados para o hospital

Devido à natureza das agressões sofridas, três polícias tiveram mesmo que ser transportados para o Hospital de Faro, para que pudessem receber tratamento médico. Dois apresentavam hematomas extensos em várias partes do corpo e o terceiro uma pequena lesão num dos pulsos.

Vídeos destacados del día

As armas apreendidas

Posteriormente, foram apreendidas duas armas brancas: uma faca e um sabre. A arma de fogo que alegadamente foi usada pelos agressores para ameaçar a vitima e os próprios polícias, até ao momento, ainda não foi encontrada.

Agressões aos polícias continuam sem fim à vista

Confirma-se novamente que as agressões aos polícias durante o cumprimento do dever continuam e sem fim à vista. Provavelmente, mais uma vez, os agressores irão a tribunal e regressarão a suas casas apenas com o termo de identidade e residência. Deveriam ficar todos em prisão preventiva a aguardar julgamento. Enquanto eles não forem devidamente condenados e punidos eles não irão parar. As agressões irão continuar e serão cada vez mais violentas e frequentes.