A adolescência é considerada a fase marcante entre a idade adulta e a infância. Esta fase é objeto de estudo por diferentes critérios.

É uma fase da nossa vida em que se questiona tudo e onde mais alterações físicas e hormonais acontecem em curto espaço de tempo. São considerados seres que não se sabem o que querem, o que são, nem para que “servem”. Querem ser mais velhos porque acham que esta idade não serve para nada, ou porque estão dependentes dos pais para as decisões, mas acham que já conhecem o mundo e não precisam deles para nada.

Publicidade

Estão em constante adaptação e parece que o mundo não os entende.

O desespero da adolescência leva a que muitos jovens na fase da adolescência se distanciem do mundo e tomem atitudes de rebeldia que levam ao limite a paciência dos pais e educadores.

Todos os adolescentes procuram a resposta à pergunta de "quem sou eu"

Depois de um complexo e longo processo iniciado nos primeiros momentos de vida e que se prolonga até a uma idade avançada, a adolescência é considerada o instante principal onde o individuo se começa a conhecer a si próprio e constrói a sua personalidade.

Estudos dizem que a autoimagem e a autoestima do adolescente mantém-se estável durante este período, mas em compensação a formação da identidade é tão complexa que pode causar transtornos.

Se existirem factores externos que dificultem essa formação, o período de formação da identidade aumenta e destabiliza pais e filhos. É com essa ideia que este artigo foi escrito, para ajudar pais e filhos a desenvolveram a identidade do adolescente.

Já pensou em usar a estratégia de marketing para ajudar os seus filhos?

Existem ferramentas usadas no plano de marketing que podem ajudar os seus filhos, principalmente se eles estiveram na fase em que não sabem exatamente a sua identidade.

Publicidade

Há uma tabela bem interessante que pode dar ao seu (sua) filho(a) para preencher quando vir que ele(a) está a desviar-se do caminho que você acha melhor para ele(a). Mas não se esqueça que o que você acha que é o melhor para eles pode não ser o que eles acham. Todos temos o direito de cometer erros pois é com eles que aprendemos.

Essa tabela é a chamada análise SWOT, isto é, vamos analisar os pontos fortes e os pontos fracos de cada um. No original, a tabela analisa uma empresa, mas adaptada podemos analisar as nossas forças e fraquezas face ao nosso ser e face ao meio envolvente.

Uma análise SWOT em marketing permite aos empresários realizarem um diagnóstico de estratégias da empresa consoante o meio onde está inserida face à concorrência. As iniciais referem-se a Strenghts, Weaknesses, Opportunities e Threats, em português, Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças.

Adaptando a uma pessoa o exercício é o mesmo de avaliação dos mesmos pontos pessoais.

Como adaptar a análise SWOT a uma pessoa?

Utilizando a tabela, vai adaptá-la da seguinte forma: nos fatores internos, quando se refere a forças, pode fazer a questão geral de "Quais as minhas maiores forças e/ ou capacidades?" no seu desenvolvimento pode dar dicas de resposta como:

- sou capaz de ser organizado

- gosto de ler e estudar

- sei fazer amizades facilmente

Ainda nos fatores internos mas referente a fraquezas, pode realizar a pergunta "O que me leva a não alcançar melhores resultados?" e dar como sugestões:

- tenho preguiça em realizar o que me é proposto

- não tenho paciência para ouvir os adultos

Nos fatores externos em relação às oportunidades poderá dar a sugestão de "soluções / oportunidades da vida para mim".

Publicidade

Enquanto que nos fatores externos na região das ameaças poderá ser "O que externamente reduz o meu potencial?"

Que conclusões tirar?

Depois de fazer esta atividade com o seu (sua) filho(a) analisem os diversos pontos juntos. As conclusões que tirarem da tabela vão ajudar a resolver os problemas que se apresentam nas fraquezas.

Provavelmente, o adolescente irá achar que tem mais fraquezas que forças e mais ameaças que oportunidades; nesse caso, deverá ajudá-lo ainda mais. Se nos resultados as forças e as oportunidades forem mais que as fraquezas e as ameaças, o(a) seu(sua) filho(a) está numa boa adolescência.