Foi na semana passada, pelas 5h45, que mais um agente da Polícia da Segurança Pública (PSP) foi agredido.

O agente da PSP foi agredido no desenrolar de um desacato na alameda das Barrosas, mais especificamente numa zona de bares da Festa das Cruzes, em Barcelos.

Publicidade
Publicidade

Um homem com aproximadamente 25 anos de idade empurrou o polícia, provocando-lhe uma grave lesão.

Devido a natureza da lesão sofrida, rutura de um tendão da coxa, o agente teve mesmo necessidade de receber cuidados médicos especializados, pelo que teve que ser internado numa unidade hospitalar para se submeter a uma intervenção cirúrgica, tal como informou o Notícias ao Minuto no dia dos acontecimentos.

Desobediência, resistência e coação a agente de autoridade

O indivíduo que empurrou o agente da PSP acabou por ser detido por ter desobedecido, resistido e coagido o elemento policial em questão, tal como o Jornal de Notícias noticiou no próprio dia da ocorrência.

Mais um agente da PSP ferido no cumprimento do dever
Mais um agente da PSP ferido no cumprimento do dever

Entretanto, foi no Tribunal Judicial de Barcelos que o agressor foi a primeiro interrogatório judicial, para também tomar conhecimento das medidas de coação aplicadas.

Ainda um segundo agente da PSP terá ficado ferido e com danos a nível do fardamento.

Agressões a polícias aumentam a cada dia que passa

E os agentes da Polícia de Segurança Pública continuam a ser agredidos e feridos durante o cumprimento do dever. As agressões aos polícias aumentam a cada dia que passa e começam a tornar-se demasiado frequentes e bastante violentas.

Publicidade

Eles apenas querem cumprir o dever deles, fazerem cumprir a lei e manterem a ordem e a segurança pública. Aliás, a missão primordial deles é mesmo: proteger pessoas e bens, mesmo que com o sacrifício da própria vida.

Mas, infelizmente, todos os dias aparecem novos casos de policias que são agredidos e feridos em serviço, e no entanto os agressores continuam livres e impunes a tudo. A maior parte deles, em vez de aguardarem julgamento em prisão preventiva, ficam em liberdade com apenas Termos de Identidade e Residência (TIR).

Somente quando os tribunais começarem a punir severamente esses agressores, talvez consigam diminuir ou até mesmo eliminar essa onda de agressividade contra os agentes de autoridade. Se os agentes de autoridade são o garante da segurança pública, como poderão eles manterem-nos seguros se a própria segurança deles estiver ameaçada?

Não é difícil de chegar à conclusão que quando a segurança dos polícias está ameaçada, é a segurança de todos nós, que também está ameaçada automaticamente.

Publicidade

Leia tudo