Chega a uma altura da nossa vida em que achamos que devíamos mudar, fazer algo diferente, experimentar novas culturas e ganhar novas ambições.

A minha altura chegou quando tinha 21 anos e decidi mudar-me para a região autónoma dos Açores, parti nesta aventura de autodescoberta e crescimento pessoal. Já tinha viajado até São Miguel duas vezes em meses diferentes, acabei por me apaixonar pela ilha e pela sua magia, tem magia e encanto em todo o lado.

O seu povo é acolhedor e caloroso em receber novas gentes vindas de outros lugares, fazem-nos sentir em casa e que pertencemos aqui.

As pessoas continentais têm a ideia de que o povo açoreano é um povo atrasado que ainda vive na idade média e que por viverem numa ilha acham que estes são ignorantes perante o mundo atual. O arquipélago dos Açores, em destaque, São Miguel é bastante avançado e o seu povo bastante instruído, orgulhosos da sua riqueza cultural.

Uma nova aventura

A minha aventura começou há um mês, neste primeiro mês tenho aprendido a conviver com as pessoas, a cultura e tradições micaelenses. Aprender que festejam a maioria dos feriados religiosos e são muito devotos ao mundo religioso, principalmente ao Santo Cristo dos Milagres.

Viver neste arquipélago tem bastantes pontos acessíveis, seja economicamente falando ou culturalmente, o único ponto negativo é o facto de só podermos sair daqui única e exclusivamente de avião.

O custo de vida em São Miguel, comparado com as grandes cidades metropolitanas de Lisboa e Porto, é bastante mais acessível, as rendas são mais baratas. O custo alimentar é mais caro devido à presença de turistas durante o ano inteiro, em relação ao continente.

Existem muitos jovens de Portugal continental que vêm para este arquipélago estudar, em resultado do baixo custo das rendas e outras despesas.

Os sotaques açorianos

No arquipélago dos Açores existem vários sotaques que variam de localidade para localidade. Em São Miguel temos um sotaque e na Ilha Terceira temos outro completamente diferente. Os diferentes sotaques insulares são influenciados pelos vários povos colonizadores; só na Ilha do Pico existem mais de 40 pronúncias distintas. Sendo que a língua falada por todos os habitantes do arquipélago é, obviamente, o português.

Caso esteja a pensar visitar o arquipélago, tem aqui um pequeno dicionário com algumas palavras do dia-a-dia, breves expressões e seus significados:

  • “Vento encanado”: corrente de ar;
  • “Friza”: congelador;
  • “Slipas”: chinelos;
  • “Gama”: pastilha elástica;
  • “Mapa”: esfregona;
  • “Dondué?”: de onde é?;
  • “Foge diante”: sai da frente;
  • “Grande impôla”: grande chato/a
  • “Mêm de veras”: a sério/realidade;
  • “Negaças”: provocações;
  • “Penca”: nariz.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo