Foi decretada pelo Tribunal Judicial da Comarca Lisboa-Oeste a aplicação da medida de coação mais gravosa, prisão preventiva, a um homem com 28 anos de idade, que tinha sido detido pelo Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública (PSP), através da Divisão Policial da Amadora, por suspeita de prática dos crimes de violência doméstica, resistência e coação. Durante a acção da PSP, o homem agrediu um agente e este perdeu a consciência.

O caso ocorreu quando, no dia 9 do corrente mês, aproximadamente pelas 09:00 horas da manhã, o suspeito terá entrado pela janela sem autorização para o interior da casa da sua ex-companheira, aonde a mesma mora com a filha de ambos, com apenas 20 dias de vida, tal como o “Noticias ao Minuto” informou ontem, numa das suas edições informativas.

O alerta para a PSP da Amadora

Posteriormente à entrada abusiva dele, alguém terá alertado a PSP da Amadora, que prontamente enviou uma patrulha policial para o local.

Quando chegaram ao local da ocorrência, os agentes da PSP defrontaram-se de imediato, com uma situação de violência doméstica.

Os policias tentaram de todas as formas que o suspeito abandonasse a casa por sua livre vontade, mas ele persistiu numa postura pouco colaborante, tentando ainda dirigir-se para o quarto aonde se encontrava a bebé de 20 dias, para a conseguir alcançar.

Entretanto, um dos agentes da Polícia de Segurança Pública tentou impedir que o homem chegasse ao quarto da criança, e foi empurrado com violência tendo caído para trás no solo desamparado, ficando inconsciente por alguns minutos após ter embatido com a cabeça na parede.

Entretanto, outros colegas do PSP agredido tentaram controlar o agressor, mas pela sua agressividade e estrutura física, foram mesmo obrigados a recorrer ao uso do “gás pimenta” para o conseguirem imobilizar.

Agressões a agentes continuam sem fim à vista

Mais um caso entre muitos outros, de agentes da Polícia de Segurança Pública agredidos no desempenho das suas funções.

Quase todos os dias surgem novos casos de agressões a polícias, aonde os mesmos são muitas vezes alvos de ofensas verbais e físicas durante o cumprimento do dever.

Mesmo com todas essas adversidades inerentes à profissão, continuam a cumprir o dever deles, com grande entrega, muito profissionalismo e enorme sentido de dever e responsabilidade.

Eles são agentes da PSP, são os representantes máximos da lei e da ordem, e como tal, tudo farão para que as mesmas sejam respeitadas e mantidas. Sempre irão proteger pessoas e bens, mesmo que com o sacrifício da própria vida.

Não perca a nossa página no Facebook!