Praticamente dois meses depois da última ida ao Estabelecimento Prisional de Évora (EPE) para visitar José Sócrates, Jorge Máximo e António Ramos ("Barbas"), dois conhecidos adeptos do Sport Lisboa e Benfica, conseguiram finalmente estar com o antigo primeiro-ministro. É que no passado dia 5 de dezembro, Máximo e "Barbas" foram impedidos de entrar nas instalações da cadeia de Évora, uma vez que naquele dia (sexta-feira) não há visitas. Além de adepto do Benfica, o ex-primeiro-ministro de Portugal é sócio e tem acções da Benfica SAD. Recorde-se que José Sócrates está preso preventivamente no EPE desde a noite de 25 novembro, por indícios de crimes de fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais.

Jorge Máximo e "Barbas" fizeram questão de entregar a José Sócrates "um cachecol e duas camisolas", uma delas "do equipamento oficial do Sport Lisboa e Benfica". Aos microfones da CMTV, "Barbas" revelou que o antigo secretário-geral do Partido Socialista "ficou muito sensibilizado" com o gesto dos dois adeptos fervorosos do clube da Luz. No entanto, a visita foi de curta duração. "Não demorámos muito tempo, porque estava lá fora uma senhora para ele [Sócrates] atender", esclareceu "Barbas", ao referir-se a Sofia Fava, ex-mulher de José Sócrates.

Jaime Gama e Miranda Calha também já visitaram o antigo primeiro-ministro

Jaime Gama e Júlio Miranda Calha, antigo e actual vice-presidente da Assembleia da República, respectivamente, deslocaram-se ao EPE no passado sábado, dia 24, para se encontrarem com José Sócrates.

Os melhores vídeos do dia

Todavia, nenhum dos dois prestou declarações aos órgãos de comunicação social. Já esta terça-feira, Carlos César, presidente do Partido Socialista, e Laurentino Dias, ex-secretário de Estado do Desporto e da Juventude, estiveram com José Sócrates durante pouco mais de uma hora. À saída, Laurentino Dias disse apenas que tinha ido "visitar um amigo", ao passo que Carlos César frisou que não tinha "declarações nenhumas a fazer".

É extensa a lista das personalidades - essencialmente da vida política - que já visitaram o antigo governante português. Mário Soares, Pedro Silva Pereira, Almeida Santos, António Guterres, Fernando Gomes, Capoulas Santos, Jorge Lacão, André Figueiredo, mas também Jorge Nuno Pinto da Costa, Maria Barroso e Eduardo Barroso já foram a Évora manifestar apoio ao ex-líder do governo socialista.