Uma adolescente, de 14 anos, e o pai, de 42, foram encontrados mortos na manhã desta segunda-feira, 1 de Maio, alegadamente intoxicados devido a uma fuga de monóxido de carbono. A tragédia aconteceu numa casa de família na aldeia de Malpartida, no concelho de Almeida, distrito da Guarda. A mãe da jovem, de 42 anos, e uma sua colega de trabalho, de 46, foram socorridas e transportadas ao hospital, igualmente com sinais de intoxicações. O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária.

De acordo com a Autoridade Nacional de Protecção Civil, o alerta foi dado poucos minutos depois das seis horas da madrugada. Quando os Bombeiros Voluntários de Almeida chegaram ao local encontraram o homem sem vida no polibã da casa-de-banho da habitação, e a adolescente numa cama de um dos quartos da habitação.

Em causa estará a inalação de monóxido de carbono. Já a mãe da rapariga, uma mulher de 42 anos, e uma sua amiga, colega de trabalho, de 46, que estaria a passar o fim-de-semana prolongado com o casal, acabaram por ser socorridas e transportadas ao Hospital Sousa Martins, na Guarda. Ambas apresentavam, também, sinais de intoxicação por monóxido de carbono.

Segundo refere o Jornal de Notícias, as vítimas residiam em Vila Nova de Gaia, e estariam a passar o fim-de-semana em Malpartida, em casa de família, de onde era natural a mulher. De acordo com o chefe Luís Faustino, dos Bombeiros Voluntários de Almeida, citado pelo mesmo jornal, as verdadeiras causas daquela tragédia deverão ser apuradas pelos inspectores da Polícia Judiciária que foram enviados para o local. No entanto, as vítimas apresentavam sinais característicos de uma intoxicação por monóxido de carbono, eventualmente largado por um esquentador, utilizado para aquecimento de águas sanitárias.

Os melhores vídeos do dia

Os corpos do pai e da filha foram removidos e transportados para o Gabinete Médico-Legal e Forense da Beira Interior Norte, na Guarda, onde deverão ser autopsiados.

De acordo com a Autoridade Nacional de Protecção Civil, nas operações de socorro estiveram envolvidos 14 operacionais, auxiliados por sete viaturas, da corporação de Bombeiros Voluntários da Guarda, da Cruz Vermelha de Vilar Formoso e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) que accionou para o local uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER). A ocorrência foi registada pela Guarda Nacional Republicana, que encaminhou a investigação para a Polícia Judiciária.