Duas mulheres, com cerca de 60 anos de idade, perderam a vida na tarde deste sábado (17 de Março) vítimas de atropelamento. A tragédia aconteceu no momento em que as duas vizinhas faziam a sua habitual caminhada. Tudo indica que o condutor, de 68 anos, perdeu o controlo do seu automóvel, entrando em despiste, tendo colhido as vítimas na berma da estrada. As causas do trágico #Acidente estão a ser investigadas pelos militares da Guarda Nacional Republicana.

O alerta para o acidente foi dado por cerca das 15h00 dando conta de um duplo #Atropelamento na Estrada do Campo de Aviação, na freguesia do Campo, concelho de Viseu. Tudo terá acontecido quando duas mulheres caminhavam pela berma da estrada, como o faziam habitualmente.

Porém, naquele início de tarde as coisas correram da pior forma. Um homem, de 68 anos, viajava na mesma estrada ao volante de um jipe que, por razões ainda desconhecidas, entrou em despiste. O veículo embateu num marco do correio e veio a colher as duas mulheres, projectando-as por alguns metros.

Óbitos declarados no local

O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Viseu da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) accionou para o local os #Bombeiros municipais e voluntários de Viseu, solicitando o auxílio do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) que accionou uma Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER). No entanto, os socorristas depararam-se com as vítimas sem sinais vitais, tendo os óbitos sido declarados no local pelo médico da VMER. O condutor do jipe ficou em estado de choque tendo sido assistido no local, recebendo acompanhamento por parte de uma equipa de psicólogos do Município de Viseu, que prestou apoio, ainda, aos familiares da vítima.

Vídeos destacados del día

Segundo algumas testemunhas, era habitual as duas vizinhas aproveitarem o início da tarde para realizar caminhadas pela zona, “na calma delas e sempre com bastante atenção ao trânsito”. Contudo, alguns populares afirmaram que aquela estrada – que liga a cidade de Viseu ao aeródromo local – “é um perigo para os peões” alertando para a inexistência de passeios. O comandante dos Bombeiros Municipais de Viseu adiantou que o automóvel tinha um pneu frontal rebentado, desconhecendo que o rebentamento ocorreu antes ou na sequência do embate. As verdadeiras causas do acidente deverão ser apuradas pelos militares da Guarda Nacional Republicana que estiveram no local a recolher elementos e vestígios que auxiliem a investigação.