A Associação Cidadãos de Esposende pretende estimular o município a mudar o prato identificativo da gastronomia do concelho, o “Polvo na Pedra à Esposende”, que foi lançado em 2015 pela câmara municipal com um resultado aquém do esperado passado cinco anos. Poucos são os restaurantes que confecionam o polvo da forma como foi apresentado, numa caldeirada, em que entram produtos hortícolas locais como batata, pimento, tomate e grelos.

Na sua apresentação, em junho de 2015, o presidente da câmara municipal de Esposende, arquiteto Benjamim Pereira, referia que o prato seria diferenciador, idealizado e concretizado para ser um sucesso tanto pela endogeneidade dos produtos utilizados na sua confeção, quer pelo contributo de toda a equipa que esteve na base do projeto.

Foi uma apresentação que teve o seu ponto alto na degustação numa unidade hoteleira do concelho.

Resultados não foram os esperados

No entanto, o prato que previa ser um promotor da gastronomia, do turismo e consequentemente da economia local não logrou consolidar essa posição. Hoje, vemos um prato em que poucos sabem da sua existência, que mesmo sendo transportado para feiras internacionais de turismo não apresenta resultados práticos na restauração local. Basta ver quantos restaurantes de Esposende o colocam na sua ementa ou quantas agências de viagem o colocam como prato atrativo de gastronomia. Algo deve ser feito, considera a Associação de Cidadãos, visto que não adianta insistir num prato que não apresenta resultados significativos.

A Associação pretende que sejam os Esposendenses a escolher o prato identificativo da gastronomia local. Para os responsáveis desta Associação, a escolha deve ser de quem vive no concelho, de quem diariamente visita a restauração e não de um “chef” de cozinha que visita Esposende algumas vezes por ano.

O “Polvo na Pedra à Esposende” deveria ser alterado por um prato que realmente represente Esposende e que permite a todos os restaurantes a sua confeção.

Consulta aos cidadãos

De forma a possibilitar aos Esposendenses a participação na escolha do prato identificativo, a Associação lança nos próximos dias na página Esposende.org e nas redes sociais uma campanha de incentivo à participação.

Os resultados serão posteriormente remetidos para o presidente da câmara municipal de Esposende na expectativa de que o prato referência do concelho seja alterado

A escolha de um prato não deve ser opção de uma pessoa ou de quatro, deve ser dos cidadãos do concelho, de quem vive e respira Esposende diariamente. É desta forma que a Associação entende que devem ser feitas as opções no concelho “ouvindo” os Esposendenses e não impondo aos Esposendenses.

Não perca a nossa página no Facebook!