A Associação Cidadãos de Esposende marcou presença na primeira paragem do Smart Cities Tour 2020, uma iniciativa nacional composta por workshops temáticos realizados em cinco cidades portuguesas que decorreu no Fórum Cultural de Ermesinde.

A sessão contou com a presença de várias empresas de renome internacional, Altice, EDP e CTT, que abordaram a temática “Cidade Circular”.

Iniciativa nacional para trocar conhecimento

O roteiro das cidades inteligentes Smart Cities Tour é promovido pela Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e tem como objetivos trocar experiências entre concelhos e partilhar boas práticas e soluções inovadoras.

São seis os eventos na agenda, com início a 12 de fevereiro em Valongo, para o debate “Cidade Circular”; Évora a 27 de maio, com o tema “Smart Grids e Comunidades de Energia Zero Carbono”; Covilhã a 30 de junho para falar de “Mobilidade Sustentável”; Monchique a 29 de setembro com “Smart Tourism”; e Oeiras a 4 de novembro, discutindo a “Inovação Inteligente”.

No tour não consta a cidade de Esposende, facto que levou os responsáveis da Associação Cidadãos de Esposende a solicitar ao presidente da câmara municipal, o arquiteto Benjamim Pereira, um esclarecimento sobre os objetivos reais para a Smart City da cidade e qual a razão de Esposende não constar no Tour 2020, questionando mesmo o máximo responsável se o investimento em “Obras de Arte” será a melhor forma de dinamizar uma cidade inteligente.

Na sessão que se realizou em Ermesinde foram abordados vários temas, sendo enaltecido o uso das tecnologias. Não constou qualquer referência a obras de arte como parte importante no desenvolvimento económico, eficiência urbana ou sustentabilidade.

Para a Associação Cidadãos de Esposende é fundamental que o Presidente da Câmara Municipal de Esposende entenda a importância no uso de novas tecnologias e de eventos inovadores, que permitem otimizar o planeamento e gestão das cidades, aumentando a eficiência das operações urbanas, o seu desenvolvimento económico e a sua sustentabilidade.

Uma cidade inteligente é uma cidade interconectada, entre si e com os seus cidadãos, considera a organização.

Pedidos para o futuro de Esposende

A Associação já solicitou a Benjamim Pereira um “Summit” para Esposende ou maior apoio aos jovens que desenvolvem aplicações ecológicas no centro de programação local.

Para os responsáveis desta Associação, esses serão os meios para se consegue desenvolver o conceito Smart City; a organização considera que não é com obras de arte ou com sensores que medem a poluição que se consegue colocar Esposende como uma verdadeira cidade inteligente,

Na perspetiva da Associação, para Esposende ser uma referência nacional em Smart City a cidade deve investir, como as cidades inteligentes por toda a Europa, em tecnologia inovadora. Apostar na monitorização de praias com uma app que permita saber como está o tempo e a temperatura da água em tempo real é um exemplo do que poderia ser feito em Esposende e que teria maior impacto, considera a Associação, que duas das obras de arte que foram recentemente colocadas na marginal da cidade.

Não perca a nossa página no Facebook!