A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil começou a entrega de 30 mil máscaras FFP2 a Bombeiros de todo o País, uma medida que foi anunciada pelo Ministério da Administração Interna (MAI) esta segunda-feira e será a primeira distribuição a ser feita no âmbito da luta contra a pandemia do covid-19, doença causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2. O aumento significativo dos casos de infectados levou a serem tomadas providências urgentes.

Na passada sexta-feira, o presidente da Liga do Bombeiros, Jaime Marta Soares, manifestou numa audiência com o presidente da República, Marcelo Ribeiro de Sousa, no palácio de Belém, que apesar dos pedidos contínuos de equipamentos de protecção individual as associações de bombeiros continuavam com carências.

Situação urgente

Jaime Marta Soares apelou pelos bombeiros, mencionando dificuldades financeiras de grande número das corporações, e que apesar disso os bombeiros mantêm sempre "uma grande tenacidade em ajudar pessoas" mesmo correndo muitos riscos. O responsável salientou que se aproxima o pico da pandemia de covid-19 ao mesmo tempo que a época dos incêndios, sendo o reabastecimento de equipamentos uma situação urgente.

A Associação Portuguesa dos Bombeiros Voluntários também prestou declarações, mencionando a falta de equipamentos de protecção individual, nomeadamente máscaras e luvas, o que compromete a segurança pessoal do bombeiros em prestação de socorro de doentes infectados com covid-19.

Os equipamentos serão os primeiros a ser entregues e haverá mais equipamentos de protecção individual a chegar.

Momento dramático para o combate à covid-19

As entregas serão feitas com regularidade aos vários grupos de profissionais de saúde e a todos os profissionais que intervenham no combate à covid-19, nomeadamente aos bombeiros, comunicou o MAI.

O governo afirmou manter o empenho para garantir todos os meios disponíveis e necessários " para fazer face" a esta pandemia.

Jaime Marta Soares explicou que a actual situação enfrentada é um "momento dramático" e que apesar de os equipamentos serem imprescindíveis para os operacionais dos bombeiros, 30 mil unidades continua, no entanto, a ser um número insuficiente.

Após a sua distribuição pelas várias corporações de bombeiros do país, o número de equipamentos entregue continua a ser muito baixo para que se possa enfrentar o que estará previsto de uma maneira mais segura para cada unidade.

Em Portugal, em estado de emergência até à próxima quinta-feira, regista desde que foi anunciado o primeiro caso dia 2 de Março, um total de 6408 infectados, 43 recuperados e 140 óbitos.

Por todo o mundo, a doença provocada pelo novo coronavírus, covid-19, já infectou mais de 600 mil pessoas, das quais morreram mais de 30 mil e 130 mil recuperaram.

Não perca a nossa página no Facebook!