A Associação Cidadãos de Esposende alertou para o incumprimento das recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS) no transporte de passageiros no comboio turístico do concelho. Sem máscara facial, sem distanciamento social e com aparente falta de higienização regular: são estas situações graves que já levaram a associação a contactar o presidente da câmara municipal de Esposende, Benjamim Pereira.

Foram vários dias em que a associação esteve a acompanhar o transporte de passageiros, tendo inclusive alguns membros da direção realizado uma viagem para confirmar que as recomendações emitidas pela DGS para mitigar a propagação de covid-19 estão a ser cumpridas em Esposende.

Na viagem realizada e registada fotograficamente, verifica-se que não existe um cuidado em colocar a máscara e são transportados os viajantes lado a lado sem marcação de distanciamento nos assentos do comboio ou aconselhamento por parte do motorista.

Associação pediu parecer à DGS

Perante esta conjuntura, a associação pediu junto da entidade oficial um parecer sobre o transporte no comboio turístico. A DGS esclarece que as orientações estão publicadas em “Medidas Gerais para Transportes Públicos Coletivos e Individuais” e são bem claras, nomeadamente:

  • Desinfetar as mãos antes e depois da utilização de um transporte público
  • Distanciamento físico
  • Utilizar uma máscara facial
  • Garantir medidas de redução de contacto entre utilizadores e motorista
  • Reduzir a lotação máxima do transporte para assegurar o distanciamento entre utilizadores
  • Controlar a entrada de passageiros com vista a evitar que o veículo ultrapasse a lotação máxima estabelecida
  • Sinalizar os lugares onde as pessoas se devem sentar

Perante estes factos, a associação solicitou a Benjamim Pereira uma imediata intervenção no comboio turístico de Esposende, aconselhando mesmo que em situações onde os viajantes não tenham máscara facial seja o próprio município a disponibilizar uma para garantir a segurança de todos.

Manter a segurança é essencial

A associação diz entender que a economia é importante para o concelho, mas mais importante é a saúde de todos os que residem ou visitam Esposende. Ter turismo implica criar condições de segurança não apenas para quem visita o concelho mas para quem diariamente vive no concelho.

Sabendo que basta uma situação para criar um surto pandémico, a organização considera que a prevenção é fundamental.

Segundo os responsáveis da associação, não se entende que perante uma situação tão grave como a que o mundo vive ainda se verifiquem situações em Esposende de risco, relembrando um recente ajuntamento com um número acima do que está recomendado pela DGS que se realizou numa unidade hoteleira local e contou com a presença de altas figuras locais.

Não sendo coerente, apontam, andar a pedir contenção aos Esposendenses e na prática fazer diferente.

Não perca a nossa página no Facebook!