Os exames de farmácia para rastreio do VIH/Sida e dos vírus da Hepatite C e B estão disponíveis a partir do dia 10 de outubro para serem realizados na própria farmácia. Estes testes rápidos para detecção da presença do vírus VIH/Sida e hepatites poderão ser realizados sem receita médica ou prescrição, têm duração de 15 minutos e para isso bastará uma pequena picada no dedo.

Os exames são fiáveis mas apenas para despiste rápido; não podem, por isso, ser considerados testes de diagnóstico.

Isto porque eles "pesquisam a presença de anticorpos e não da infecção", segundo disse o dirigente do Grupo de Activistas sem Tratamento (GAT), Luís Mendão à agência Lusa.

Já posso realizar o teste em qualquer farmácia?

Até ao momento, este tipo de testes poderia ser realizado em hospitais, centros de saúde, diversas organizações de base comunitária, centros de aconselhamento de detecção precoce da infecção VIH/Sida (CAD) e centros de respostas integradas para comportamentos aditivos e dependências (CRI), em qualquer um destes locais de forma gratuita.

Inicialmente foram colocados à disposição dos utentes apenas na região de Cascais, mas será alargado o projecto a outras regiões do país.

Foram assinados compromissos entre o Ministério da Saúde e mais sete cidades com o intuito de estabelecer medidas para a redução da incidência das infecções por VIH. Essas novas cidades são: Almada, Portimão, Sintra, Loures, Oeiras, Amadora e Odivelas. Cascais, Lisboa e Porto já haviam assinado este compromisso.

De realçar que a Grande Lisboa apresenta metade da incidência de todas as recentes infecções por VIH em todo o país.

O restante território de Portugal terá que aguardar pela inclusão destes testes nas farmácias. Sendo que mesmo que o projecto já tenha alcançado determinada região ou cidade, as farmácias apresentam o direito de escolha para realizarem ou não os exames.

Os melhores vídeos do dia

Protocolo e caso de teste positivo

Após a realização do teste e se se estiver perante um resultado positivo, o protocolo a exercer é de entrar em contacto com a linha SNS 24, que realizará o encaminhamento do utente para um hospital à escolha do mesmo para repetir o teste. A repetição do teste serve para garantir que o primeiro resultado era o correcto, pois existem sempre condicionantes na realização dos mesmos.

O teste de diagnóstico realiza-se a partir de análises sanguíneas características do VIH, onde se procuram anticorpos que o sistema imunitário concebe contra vírus.

Em circunstâncias de comportamento de risco, a colheita de sangue deve ser realizada entre 3 a 10 semanas após o ocorrido, sendo que deve ser repetida ao fim de 3 meses par despiste de falsos negativos.

O que é o VIH e a Sida

VIH - Vírus da Imunodeficiência Humana, é um vírus que destrói as células do sistema imunitário do hospedeiro, ficando assim vulnerável a contágios e tumores com grande taxa de mortalidade.

Em estados mais avançados da infecção, as células protectoras do sistema imunitário deixam de existir e levam ao Síndrome de Imunodeficiência Adquirida, a SIDA.

Podemos encontrar o VIH essencialmente no sangue e nos fluídos íntimos de pessoas que estejam infectadas, ou seja, só através do contacto com sangue ou íntimo é que existe a transmissão da doença.

Uma mulher que apresente o vírus pode contagiar o bebé durante a gravidez, parto ou mesmo durante o aleitamento.

Os contactos sociais com portadores do VIH não acartam riscos para a sua transmissão.

Existe tratamento para o VIH?

Existe tratamento mas não a cura. O tratamento baseia-se em medicamentos anti-retrovíricos eficazes para cada caso individual. Esta terapêutica é gratuita em Portugal, desde que o paciente infectado tenha sido encaminhado para tal. Existe também apoio psicológico e social para pacientes que o necessitem.