Sabia que existe uma biblioteca digital para orgasmos reais? A marca erótica Bijoux Indiscrets lançou a ideia e incita as mulheres a gravar e publicar os sons dos seus orgasmos, com o intuito de mostrar que o som do clímaxé diferente daquele que acontece nos filmes pornográficos. O objetivo é mostrar que a ficção não deveimpor restrições à vida sexual das pessoas.

A marca espanhola encomendou um estudo e surgiu o relatório intitulado "Ficção vs Realidade no sexo", que serviu para lançar a biblioteca.

Asresponsáveisda empresa espanhola, representada em Portugal por Elsa Viegas e Marta Aguiar, perceberam que existiam muitos tabusrelativamenteà sexualidade feminina, sobretudo com o lançamento de um vibrador em formato de diamante, denominado Twenty One.

Abordar os mitos que existem à volta desta temática é o objetivo do estudo, que contou com a colaboração online de 1500 indivíduos espanhóis de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 55 anos.

Os resultados do estudo indicam que 21% dos indivíduos do sexo masculino e 52% dos indivíduos do sexo feminino tinham simulado um orgasmo; já metade das mulheres e um terço dos homens acreditavam que gritar ou gemer durante o acto sexual é um bom indício para uma boa relação sexual.

De acordo com Elsa Viegas, os resultadosmais inquietantes do estudoforamos relativos àsimulação de um orgasmo. Não há necessidade de fingir um acto que deve ser de prazer, salienta a empresária.

A Bijoux Indiscretsjuntou-se à empresa Proximity Madrid para inovar com a biblioteca de orgasmos reais. Atualmente, a biblioteca encontra-se disponível em espanhol e inglês, havendo planos para disponibilizá-la posteriormente em francês.

Existe a necessidade de mostrar às pessoas, sobretudo do sexo feminino, que não existem dois orgasmos reais, assim como não existem duas pessoas iguais. A gravação e publicação do som do orgasmo feminino é completamente anónima.

Mais tarde, Elsa pretende averiguar as diferenças culturais e geográficas dos sons que ocorrem durante o clímax. Atualmente, a biblioteca digital conta com a gravação de 250 orgasmos, sendo quea primeira centena já foi reproduzida 110 mil vezes.

Elsa Viegas mostra-se muito orgulhosa pelo feito alcançado, tendoconseguidopôr muitagente a falar de sexo, segundo o site P3 do Público.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo