A Apple prepara-se para lançar um serviço de streaming de música online, entrando em concorrência direta com o Spotify. A aplicação será criada em parceria com a empresa áudio de Dr. Dre, a Beats Electronics, comprada no passado ano pela Apple. A empresa norte-americana vai ainda renovar a rádio do iTunes, actualmente apenas disponível nos Estados Unidos, com a colaboração do neozelandês Zane Lowe, recentemente saído da BBC Radio 1. No entanto, o novo serviço de streaming não será gratuito.

O vocalista dos Nine Inch Nails, Trent Reznor, é o nome dado como responsável pelo design da nova aplicação. Ao contrário do Spotify, que disponibiliza música gratuitamente, o serviço da Apple funcionará por meio de subscrições.

De acordo com o jornal britânico The Times, a Apple tentou persuadir várias editoras a reduzirem os custos de licença das músicas, com o objetivo de minar os outros serviços de streaming. A proposta foi rejeitada.

Jimmy Iovine, co-fundador da Interscope Records e da Beats juntamente com Dr. Dre, estará em negociações para estrear álbuns exclusivamente através da nova plataforma da Apple. Quanto à iTunes Radio, o objetivo é estender o seu alcance a nível global, com programação especializada por região geográfica.

Trata-se de uma equipa de peso, encabeçada por Jimmy Iovine, uma lenda da indústria musical, e Zane Lowe, cujo trabalho na BBC 1 o tornou uma figura influente no mundo da rádio, ao lançar, em primeira mão, as maiores faixas musicais da atualidade, desde Adele, Ed Sheeran ou Artic Monkeys.

Os melhores vídeos do dia

A Beats Electronics foi fundada em 2006 pelo rapper Dr. Dre e pela Interscope Geffen A&M Records, dirigida por Jimmy Iovine. Especializada em headphones e colunas, caracterizados por uma forte ênfase no baixo, foi comprada no ano passado pela Apple por 2 mil milhões de euros. A empresa de Dr. Dre já detinha um serviço de streaming online desde que, em 2012, adquiriu os direitos do MOG. Este permitia aos subscritores ouvir música e ler sobre ela. No entanto, a atividade do MOG foi suspensa em maio de 2014, depois do lançamento da Beats Music, em janeiro de 2014, serviço que, tal como a nova plataforma da Apple, funciona por subscrições.