A partir de hoje, todos os utilizares do sistema Android poderão navegar na aplicação Google Maps, sem serem obrigados a ter os dados móveis activos. Esta novidade vem ao encontro das necessidades por parte de quem necessita realizar pesquisas ou navegar até a um preciso destino, utilizando assim uma rota disponibilizada pelo Google Maps, mesmo que se encontre numa zona remota da sua cidade, num país onde a rede é muito fraca ou até dentro de um túnel. A acrescentar a esta aposta da Google, os utilizadores têm a possibilidade de obter informações sobre restaurantes, espaços comerciais, hotéis, hospitais, etc. A empresa recordou que 60% da população mundial não tem acesso à internet móvel ou a que dispõe é de má qualidade. De modo a restringir a utilização, os mapas descarregados não poderão ultrapassar os 2,5 GB.

Segundo Amanda Bishop, “manager” do produto da Google, para já esta novidade só está disponível para os utilizadores do sistema Android, contudo esta utilização será alargada até ao outro principl sistema operativo móvel, o iOS, de modo a ser cumprido o objectivo deste gigante do mundo da Internet: dispor de uma oferta de serviço igual para todos os cidadãos do Planeta Terra.

O mundo das novas tecnologias tem-se vindo a expandir, todos os dias, o que faz com que os utilizadores se aliem às novas apostas das marcas e usufruam ao máximo das aplicações disponibilizadas. Milhões de pessoas, em todo mundo, terão agora a possibilidade de planearem as as suas rotas necessárias com este sistema “offline”.

A Google tem-se vindo a afirmar no mercado de serviços online há quase duas décadas, conquistando paulatinamente a sua posição e expandindo-se desde o seu negócio original - o motor de pesquisa - para se tornar um gigantesco fornecedor de serviços tecnológicos.

Os melhores vídeos do dia

A empresa californiana não pretende manter os seus lucros apenas com a plataforma de publicidade online Google AdWords, mas também com muitas outras possibilidades, como é o caso do automóvel sem condutor humano.

Resta apenas acrescentar que, para além dos percursos de carro, esta empresa multinacional dos Estados Unidos da América encontra-se a trabalhar para que nas próximas semanas seja possível visualizar as rotas a pé ou de transportes públicos.