Anúncio
Anúncio

Depois de Cindy Crawford, mais uma diva é apanhada sem Photoshop. Desta vez foi a "Rainha dos Grammys", Beyoncé. As fotos, que foram tiradas em 2013, foram agora divulgadas no Twitter de forma não autorizada. As imagens já causaram muita controvérsia nas redes sociais: há quem se surpreenda e quem elogie a beleza natural da cantora. A verdade é que as imagens mostram um rosto diferente daquele a que a cantora nos habituou.

É a Beyoncé, mas sem o rosto perfeito que costuma ser capa de revista. É um rosto de uma mulher então com de 31 anos, com manchas e algumas rugas de expressão. As fotos são de 2013, foram tiradas para uma campanha da L'Oréal e acabaram agora a circular na Internet sem qualquer tratamento.

Anúncio

Após a publicação das quatro fotos de Beyoncé sem edição, choveram comentários sobre a sua aparência. Se alguns fãs ficaram indignados ao ver a Queen B com algumas imperfeições, outros correram a elogiar a beleza natural da esposa de Jay-Z. Alguns dos fãs defendem ainda que as fotos terão mesmo sido retocadas no Photoshop, mas para acrescentar imperfeições onde não existem, como acrescentar borbulhas e rugas de expressão.

A veracidade das imagens ainda não foi confirmada e a cantora preferiu não comentar o caso. Beyoncé é conhecida por controlar de forma bastante apertada todas as fotos que vêm a público. Em 2013, quando actuou no intervalo do SuperBowl, todas as imagens publicadas do seu concerto tiveram de ser aprovadas por ela.

Anúncio
Os melhores vídeos do dia

As fotografias foram publicadas numa página de apoio à cantora, que pretendia mostrar que Beyoncé é naturalmente bonita e consegue ser uma pessoa normal. Essa página acabou por ser apagada devido às repercussões que as imagens tiveram por toda a Internet de forma quase viral.

A imprensa internacional também já deu destaque à situação. O New York Daily News afirma que as imagens mostram uma Beyoncé mais humana; já o site Nylon opta por fazer referência à música Flawless, afirmando que afinal Beyoncé é humana, e não perfeita como se fazia crer.