Milhares de fãs de Jeremy Clarkson assinaram a petição que exige à BBC o regresso do apresentador ao Top Gear, poucas horas depois de este ter sido suspenso devido a uma altercação com um produtor do programa. Esta quarta-feira, ao final da tarde, o número de signatários do texto superava já os 500 mil. Ao longo do dia foram também conhecidos pormenores sobre o incidente que levou à suspensão e a reacção de Clarkson. "Estou a caminho do centro de emprego", brincou o apresentador.

Esta não é, nem de perto nem de longe, a primeira vez que o politicamente incorrecto Jeremy Clarkson se vê envolto em controvérsias. Várias foram as afirmações feitas no já mítico programa sobre automóveis que lhe valeram duras críticas.

No ano passado, foi obrigado a pedir desculpas depois de ter utilizado a palavra "nigger" durante uma das emissões e quase desencadeou um motim na Argentina quando conduziu um Porsche com a matrícula H982 FKL, no que foi considerado uma alusão à Guerra das Falklands em 1982.

A sua enorme legião de fãs esteve sempre ao seu lado e, mais uma vez, voltou a marcar presença. Um blogger ligado à direita britânica, Guido Fawkes criou uma petição contra a BBC, exigindo que a cadeia televisiva voltasse atrás na decisão de suspender o apresentador, que rapidamente se tornou viral nas redes sociais, mormente no Twitter. Ao final da tarde desta quarta-feira, o documento contava já com mais de 500 mil assinaturas.

Ao longo do dia de hoje foram também revelados pormenores do incidente que levou à suspensão do rosto mais conhecido do Top Gear.

Os melhores vídeos do dia

James May, outro dos apresentadores do programa, disse que o seu colega esteve envolvido num desentendimento com o produtor Oisin Tymon, mas não confirmou se Clarkson chegou mesmo a dar um murro em Oisin, como tem sido veiculado por vários meios de comunicação britânicos, nomeadamente o The Telegraph.

O que é certo é que a discussão aconteceu à hora do jantar, depois de a equipa ter estado a gravar mais um episódio do programa, quando Jeremy se irritou pelo facto de não haver comida depois de um intenso dia de gravações.

Confrontado por repórteres à porta de sua casa, que o questionavam sobre o assunto, Clarkson limitou-se a brincar com a situação, dizendo que estava "a caminho do centro de emprego". Ao The Telegraph disse ainda que estava "a beber uma cerveja fresquinha", à espera que a poeira assente.

Além de suspender o apresentador, a BBC cancelou também os últimos três episódios desta temporada do programa, que vai para o ar aos domingos à noite na BBC2. A decisão tem valido à estação um coro de críticas no Twitter, com as hashtags #BringBackClarkson e #JeSuisClarkson a estarem no top dos assuntos mais comentados na rede social.