Habituamo-nos a vê-la no grande ecrã a desempenhar a sua profissão de actriz com mestria e sabedoria, mas a escassez de trabalhos e a falta de pagamento de outros projectos levaram Florbela Queiroz a recorrer à sua página no Facebook para fazer um apelo. Alegando que não conseguirá cumprir as suas obrigações a partir do mês de Maio, a actriz pediu a ajuda monetária de todos aqueles que estiverem disponíveis para ajudá-la a ultrapassar este período mais complicado da sua vida. "Pedir não é vergonha", acrescentou a actriz no referido post em que pede a ajuda de todos, com "um euro ou menos", para que consiga cumprir as suas obrigações, tal como tem feito até agora, deixando o seu NIB para que lhe possam ser feitas transferências.

A vida de Florbela Queiroz não tem sido fácil. Além da falta de convites de trabalho, a actriz ficou ainda sem a sua casa na Parede e teve de lutar para a reaver, já que estava nas mãos do seu filho. Quando conseguiu ter novamente o seu lar, encontrou-o destruído. Numa entrevista ao FLASH!Vidas, a actriz descreveu este momento da sua vida: "Tens um paraíso e um dia abres a porta e estás na Faixa de Gaza, na zona que foi bombardeada", partilhou, descrevendo assim a relação tumultuosa que mantém com o filho.

Na altura em que ganhou o processo em tribunal de violência doméstica contra o filho e a nora, a actriz, de 71 anos, contou com o apoio de colegas de profissão, que lançaram a campanha "Pôr em ordem a casa da Florbela". O objectivo consiste em juntar uma série de apoios, nomeadamente de empresas de mobiliário, construção, decoração e jardinagem que, de forma totalmente voluntária e gratuita, possam dar o seu contributo para que a actriz possa viver de uma forma minimamente digna para qualquer ser humano.

Os melhores vídeos do dia

Alguns nomes bem conhecidos como Vanessa Oliveira, Ruy de Carvalho, Helena Isabel ou Fernando Correia Marques dão a cara por esta iniciativa que terminou no passado dia 31 de Março.

Celebrizando-se como actriz de teatro, televisão e cinema, Florbela Queiroz entrou, por exemplo, na famosa série de humor realizada por Nicolau Breyner e transmitida pela RTP entre 1994 e 1997, "A mulher do senhor ministro", onde desempenhava o papel de Bernadete.