Na tarde de estreia do filme "The Bodyguard" em 1992, um advogado de Chicago tentou extorquir a Witney Houston 250 mil dólares, de acordo com um relatório pormenorizado do FBI. A extorsão, divulgada no livro de Ian Halperin intitulado "Whitney & Bobbi Kristina: The Deadly Price Fame", surgiu quando pairavam rumores de que a cantora teria um relacionamento amoroso com a sua assistente pessoal e amiga de longa data, Roby Crawford. O advogado disse a um agente do FBI que a informação incluía "conhecimento de detalhes íntimos relativamente a relações amorosas de Whitney Houston" e que iria divulgá-las publicamente.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o relatório, o pai da cantora, John Houston, "resolveu a questão enviando, quase de imediato, um acordo de confidencialidade" mas não se sabe ao certo quanto terá sido pago para silenciar o chantagista, nem se o progenitor sabia da exigência inicial de 250 mil dólares.

Nesse mesmo ano, Whitney casou com o o cantor Bobby Brown e no dia da cerimónia, segundo as notas do jornalista do "Wall Street Journal", Mark Halperin, a noiva presentou Crawford com um Porsche, como "símbolo da sua amizade".

Bobbi Kristina Brown e Whitney Houston nos GMA.
Bobbi Kristina Brown e Whitney Houston nos GMA.

Halperin cita Kevin Ammons, um ex guarda-costas de Whitney, que diz que "John Houston estava extremamente infeliz com Roby e preocupado se ela iria a público com a suposta relação".

Segundo Ammons, o progenitor da cantora disse "temos que fazer alguma coisa em relação a essa filha da p***. Ela está a arruinar a minha família e a levar-nos a todos à loucura. Pago-te 6000 dólares se a assustares". Contudo, o segurança contou ao jornalista que recusou e que a seguir John "avisou os guarda-costas para terem Roby debaixo de olho.".

Publicidade

Em janeiro deste ano, Halperin revela a sua teoria sobre o que aconteceu a Bobbi Kristina, filha da cantora, que foi encontrada inconsciente a flutuar em água gelada na banheira - um caso semelhante ao de sua mãe que foi encontrada na banheira com cocaína em 2012, segundo revelaram as análises. Bobbie Kristina Brown permanece em coma e a sua avó, Cissy Houston, disse em abril que a sua neta sofreu "danos cerebrais irreversíveis". Não foi confirmada a presença de drogas mas Halperin diz que as suas fontes garantem que uma tentativa de suicídio é pouco provável devido à temperatura da água.

O jornalista diz que, se envolvermos Brown, podem ser explicados "os hematomas faciais que os paramédicos encontraram" mas também alerta que imergir uma vítima de overdose em água fria "provoca o coma, ou eles podem-se afogar". Neste momento a filha da cantora permanece em coma pelo que as investigações só podem prosseguir caso acorde ou morra.

"Apenas o relatório toxicológico - ou na pior das hipóteses, uma autópsia - pode responder definitivamente à questão sobre, se existirem, quais as drogas que Bobbi Kristina tinha no organismo na altura que foi encontrada".

Publicidade

Halperin escreve "é possível que as autoridades revelem novas provas que venham a excluir a teoria do banho de água fria por completo. É também possível que nunca saibamos o que aconteceu".

Leia tudo e assista ao vídeo