O The Huffington Post recebeu algumas reações negativasdepois de ter utilizado uma foto de Zayn Malik num tweet sobre o ISIS.A publicação norte-americana utilizou a foto do cantor inglês para promover um artigo intitulado "O Que O ISIS Quer", levando os fãs do cantor a acreditar que o ex-One Direction - que por acaso émuçulmano - possa estar envolvido com o grupo terrorista.

O The Huffington Post dirigiu-se de imediato ao Twitter a fim decorrigir o problema e explicar o uso da foto.

"Pedimos desculpas pela imagem original utilizadaaqui," publicou a publicação na plataforma online, acrescentando:"Zayn Malik é mencionado na história, mas não é, obviamente, parte do ISIS".

"Os refugiados que fogem da Síria tornam cada vezmais do que claro que o Estado islâmico não está acriarnenhum paraíso para o Islão. Mas se sequiser um caso de sucesso do que é a"zona cinzenta de convivência" - uma história de sucesso que toda a gente já ouviu falar -basta considerarmos a estrela pop e ex-vocalista dos One Direction, Zayn Malik ", escreveu Jason Linkins no artigo.

O artigo aborda a "zona cinzenta da coexistência" entre muçulmanos e não-muçulmanos no mundo ocidental. Malik é exemplificado na peça como sendo um famoso muçulmano que rejeita a ideologia radical do grupo terrorista e que abraça os princípios culturais do Ocidente. No entanto, embora mencionem o artista numa perspectiva positiva, o artigo e a utilização da foto com o tweet só contribuíram para o caos em torno do cantor após os acontecimentos recentes que envolvem o ISIS.

Malik foi alvo de uma série de tweetsde ódio após os ataques terroristas de Paris na semana passada, com algumas pessoas a irem mesmo tão longe como dizer que ele era um dos homens armados envolvidos.

Mas a escolha da imagem do The Huffington Post não foi inofensiva. Se se pesquisar "Zayn Malik ISIS" no Google, existem mais de 3 milhões de resultados, muitos deles teorias da conspiração explícitas e virulentas.

Zaynpertenceuauma das bandas mais populares do mundoeem breve irá lançar o seu primeiro álbum a solo. Éo muçulmano mais famoso na cultura pop ocidental e foi acusado de ser membro do ISIS e de recrutar adolescentes à causa jihadista ao longo dos seus cinco anos de fama. O artigo de The Huffington Post está agora no topo dos resultados do Google Notícias para essa mesma pesquisa. Não são de ódio, mas tem as palavras-chave e associação corretas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo