A televisão é um mundo a parte que, embora se baseie na realidade e procure através da dramaturgia e dos programas de auditório se aproximar do público, ao simular vivências e experiências que causam empatia nos telespectadores, trata-se de um mundo bastante distinto da vida real, de sonhos, encantos e estrelado de celebridades.

O apresentador e jornalista Hebert Neri é um brasileiro que se está a aventurar no mundo da televisão em Portugal. Depois de um ano a apresentar o Neri Talks na rádio FM na Europa, agora Neri foi convidado a encarar mais um grande desafio, que é de trazer o seu conteúdo para o universo da televisão, através da NPC, estação de televisão regional do norte de Portugal.

"Se a arte imita a vida, então cada país, cada povo e cada cultura tem o seu modo distinto de representar aquilo que é a realidade que vivem, ou idealizar as mesmas. Fazer TV em Portugal é um privilégio, sinto-me realmente honrado, mas também é preciso entender que não é a mesma coisa que fazer TV no Brasil e, por isso, é preciso respeitar as diferenças e fazer diversas adaptações importantes, para este novo contexto", relata.

Novos desafios

Neri conta que a primeira coisa a fazer foi vencer a barreira do idioma, que embora seja o mesmo, guarda algumas particularidades entre os lados de lá e de cá do Atlântico. "Os portugueses estão muito acostumados a ouvir brasileiros e hoje o nosso sotaque já não é uma barreira nem causa rejeição", explica.

"Há mais de trinta anos, Portugal consome novelas brasileiras, que são exibidas em horário nobre na TV por aqui. Então, um português não costuma ter nenhuma dificuldade em nos entender. Contudo, no caminho inverso, assim que chegamos ao país, precisamos nos adaptar ao modo de falar, aprender novas palavras, fazer pequenas substituições, para uma melhor comunicação.

Ninguém nunca me forçou a nada disso, mas se eu como comunicador posso fazer a minha comunicação ser mais objetiva e clara, então por que não o fazer? É bom para todos."

Logo em seguida, é preciso entender que o modo de apresentar e de fazer TV é distinto entre os dois países. "No Brasil, a TV está caminhando para uma informalidade em alguns casos até bastante exagerada, mas que de certo modo, aproxima o telespectador do comunicador", considera.

"Em Portugal, isto também está começando a acontecer, através de excelentes programas humorísticos e de entrevistas que estão colocando o país em uma nova era no que diz respeito à comunicação. Contudo, o modo de estar, de se portar e de agir do português é diferente."

Segundo Neri, tal "não que seja melhor e nem tão pouco pior, é apenas uma outra realidade, logo uma outra cultura e uma forma particular de se comunicar." Antes de aceitar o desafio, o apresentador analisou "cuidadosamente" os principais programas da televisão portuguesa, para entender como fazem e tomar como referência. "Visitei bastidores de gravações de programas dos maiores canais de Portugal, conversei com apresentadores, com equipa técnica, com pessoas envolvidas neste fascinante mundo, profissionais da área, que me deram excelentes conselhos."

Um talk show diferente

O formato de talk show já é bastante conhecido em todo o mundo e usado à exaustão em diversos países.

No entanto, Hebert afirma querer trazer algo de novo para o formato. "O segredo é a renovação constante e as redes sociais são uma fonte inesgotável de informação. Dinamizar a linguagem usada na TV a partir do dinamismo das redes sociais, com a inserção de memes, participação das pessoas pelo Twitter, Facebook, Instagram, etc... tudo isto é importante hoje em dia para conquistar a audiência."

Os produtores do Neri Talks afirmam que o programa será multiplataforma, o que traz mais um diferencial. "O Neri Talks poderá ser visto através da MEO, no canal da NPC, mas também no Facebook, Twitch, YouTube e no formato podcast (Spotify, Deezer, Google Podcasts e Apple Podcasts)."

O Neri Talks deve estrear pela NPC ainda em 2020 e as gravações já estão a acontecer nos estúdios da emissora em Freamunde, no distrito do Porto.

O apresentador conta que as suas expectativas são altas. "Nunca pensei de um dia estar na televisão no Brasil e agora estou tendo a oportunidade de o fazer em Portugal. Sou muito grato à toda a direção da NPC, ao staff da emissora e aos D'Alma, porque foram a ponte para que eu pudesse viver mais esse empolgante momento na minha vida. O melhor está por vir."

Não perca a nossa página no Facebook!